Homem preso por ajudar Lázaro Barbosa estaria com uma arma roubada pelo serial Killer de Brasília

Dois suspeitos foram autuados em flagrante, no distrito de Girassol, em Goiás.

LÁZARO BARBOSA
Homem preso por ajudar Lázaro Barbosa estaria com uma arma roubada pelo serial Killer de Brasília

Lázaro tem 32 anos e uma longa ficha criminal que inclui homicídio, estupro, roubo, latrocínio e porte ilegal de arma de fogo. - Foto: SBT/ TV Serra Dourada

A polícia do estado de Goiás prendeu nesta quinta-feira (24) duas pessoas suspeitas de ajudar Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, na histórica fuga que já dura 16 dias. A informação acaba de ser confirmada pelo secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, em coletiva de imprensa na cidade de Cocalzinho de Goiás, às 21h30 desta quinta. Lázaro, por outro lado, segue desaparecido. Veja quem são os presos, clicando aqui.

Os dois homens foram autuados em flagrante, na região do distrito de Girassol, onde as buscas por Lázaro acontecem. De acordo com Rodney Miranda, os investigadores chegaram até uma residência que estava servindo de esconderijo para Lázaro. Os dois presos estariam dando suporte ao criminoso nesta casa. Ainda segundo Rodney, um dos suspeitos estaria portando uma arma que Lázaro roubou, com 50 munições.

"Rede de psicopatas", descreve o secretário

"É uma rede de psicopatas", disse o secretário, que ainda acredita que, além dos dois presos desta quinta, outras pessoas possam estar ajudando Lázaro na fuga. "Nós já imaginávamos que seria impossível uma pessoa agir sozinha desta forma", disse Miranda.

 

>>> Veja quem são os homens presos suspeitos de ajudar Lázaro na fuga.

 

Os presos serão autuados por porte de arma de fogo e também por ajudar na fuga do criminoso, informou o secretário aos repórteres. 

As identidades dos presos desta quinta-feira não foram reveladas. O secretário também não falou qual seria a relação entre os dois suspeitos e Lázaro Barbosa. Também não ficou claro o que motivaria os dois presos a ajudar Lázaro nas fugas nem se eles são moradores da região onde as buscas são feitas. 

Buscas nesta quinta-feira

Nas últimas horas, ao longo da tarde desta quinta, houve intensa movimentação de policiais no distrito de Girassol onde as buscas são feitas. Por volta das 15h, eles receberam uma denúncia de que Lázaro havia sido visto em uma região de chácaras. A estrada de terra que dá acesso ao local foi interditada e vários moradores deixaram suas casas às pressas.

As buscas acontecem em um perímetro de 50km, entre as cidades de Cocalzinho de Goiás, Edilândia e Santo Antônio do Descoberto. Além dos policiais e cães dentro das matas da região, policiais fazem buscas em veículos que trafegam pela rodovia BR-070, na tentativa de evitar que Lázaro fuja para outros estados. 

Se confirmada a participação desses dois homens presos na fuga de Lázaro, os policiais podem investigar outros suspeitos na chacina que aconteceu em Ceilândia, no Distrito Federal, no último dia 9 de junho. Na ocasião, quatro pessoas de uma mesma família foram mortas e Lázaro, até aqui, é o único suspeito dos crimes. Foi a partir dessa chacina que Lázaro começou a ser procurado. 

No entanto, uma tia de Lázaro, Zilda Maria, disse que o criminoso ligou para a mãe dele, dona Eva, e relatou que não havia agido sozinho no crime de Ceilândia

Serial Killer de Brasília

Lázaro Barbosa ficou conhecido nas redes sociais como Serial Killer de Brasília. Ele é suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família no dia 9 de junho. Desde então, começou uma fuga considerada histórica. Invadiu propriedades rurais, fez reféns, disparou contra policiais e colocou pânico em toda a comunidade dos arredores do Distrito Federal. Até esta quinta-feira (24), cerca de 270 homens das polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal participaram das buscas. 

De acordo com o portal UOL, cerca de 70% dos moradores da região saíram de suas casas nos últimos dias, por medo do criminoso, que foi extremamente violento nas chácaras e fazendas por onde passou. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.