JUSTIÇA

Justiça determina que médico suspeito de atirar contra vizinhos no Recife seja encaminhado para hospital de custódia

O médico de 54 anos, que tem porte de arma, atirou contra vizinhos que estavam em uma área comum do edifício

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 25/06/2021 às 16:08
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

O médico de 54 anos que atirou contra vizinhos no prédio em que morava, no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, passou por audiência de custódia, nesta sexta-feira (25). A Justiça de Pernambuco concedeu liberdade provisória com uma medida cautelar, informando que ele deve ser encaminhado para o hospital de custódia e tratamento psiquiátrico.

Rodrigo Lins, advogado de defesa do médico, que não teve a identidade revelada, disse que a decisão foi satisfatória para a família. "Na verdade, a necessidade hoje do indiciado é justamente o tratamento psiquiátrico. Ele é um profissional, uma pessoa do bem, que não traz perigo nenhuma à sociedade, porém necessita dar início ao tratamento para voltar à sociedade de uma forma que não cause perigo a ninguém", disse.

Segundo o advogado, o médico "está um pouco ansioso, mas o início do tratamento vai ser bem satisfatório".

A previsão é de que ele seja encaminhado para o hospital ainda no fim da tarde desta sexta-feira (25). Não há previsão sobre o tempo em que ele ficará internado.

O médico, que tem porte de arma concedido pela Polícia Federal, está com o direito suspenso.

Entenda o caso

Um médico foi preso suspeito de atirar em vizinhos no prédio onde mora, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. O crime aconteceu por volta das 17h dessa quinta-feira (24). As vítimas foram três rapazes, que se mudaram para um dos apartamentos do prédio, há pouco mais de seis meses.

Os amigos contaram que estavam numa área comum do edifício, quando perceberam o médico, de 54 anos, já com uma arma na mão, na varanda dele. Os rapazes ainda tentaram se abrigar. Uma moradora e um dos amigos ficaram feridos por estilhaços.

Uma das vítimas, o supervisor de digitalização, Olavo Damasceno, que ficou ferido no braço e na perna, estava revoltado e com medo de que ele seja solto na audiência de custódia. Moradores do prédio ficaram assustados, e segundo alguns, o médico já tem histórico de confusão no local.

Ele, que tem porte de arma concedido pela Polícia Federal, foi levado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio contra os três jovens.

Um circuito exibido no programa 'Por Aqui', da TV Jornal, nesta sexta-feira (25), mostra o momento em que o médico caminha portando uma espingarda calibre 12 e arrastando uma mala. As imagens são datadas do dia 13 de abril deste ano.

Veja:

Mais Lidas