Caso Roberta

Roberta, mulher trans queimada no Recife, terá segundo braço amputado, confirma médico

Informação foi confirmada pelo médico que cuida de Roberta, no Hospital da Restauração

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 30/06/2021 às 12:21
Diego Nigro/JC Imagem
FOTO: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

A equipe médica do Hospital da Restauração (HR), no centro do Recife, confirmou que fará a amputação do braço direito de Roberta Silva, de 32 anos. A mulher, que é transexual, já havia tido o braço esquerdo amputado no último sábado (26), após ser violentamente agredida na semana passada no Cais de Santa Rita.

A informação da amputação do outro braço foi confirmada pelo médico Marcos Barreto, chefe do setor de tratamento de queimados do HR, em entrevista à TV Jornal. A cirurgia está marcada para acontecer na tarde desta quarta-feira (30).

"Nós fizemos um trabalho nessa perspectiva de preservar [o braço direito], já que [ela já] tinha perdido o braço esquerdo. Mas vem complicando. Ontem, quando foi feita uma reavaliação, a musculatura está começando a deteriorar. A equipe de cirurgia vascular foi chamada e definiu que terá de ser feita a amputação. Agora, após o meio dia", disse o médico. O médico voltou a confirmar que as queimaduras foram de terceiro grau, chegando à musculatura da vítima.

>>> LEIA MAIS: Ao ser internada, Roberta foi colocada na ala masculina de hospital, sem ter sua identidade de gênero respeitada.

>>> "A morte assombra a gente o tempo todo", diz primeira deputada travesti de Pernambuco.

Relembre o caso

Vivendo nas ruas do centro do Recife, Roberta Silva, de 32 anos de idade, teve 40% do corpo queimado na madrugada da quinta-feira (24). Em conversa com a codeputada estadual Robeyoncé Lima (Juntas/Psol), Roberta disse que a violência foi motivada por preconceito. A comunidade LGBTQIA+ de Pernambuco trata o caso como transfobia.

Um adolescente de 17 anos, suspeito de cometer a agressão foi apreendido e cumpre medida socioeducativa em uma unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

Mais Lidas