pandemia

Caso Covaxin: PGR pede inquérito para investigar Jair Bolsonaro por prevaricação; saiba do que se trata

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve apurar o que aconteceu na negociação da vacina indiana Covaxin

Publicado em 02/07/2021 às 15:20
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

A Procuradoria-Geral da República pediu, nesta sexta-feira (02), para o Supremo Tribunal Federal (STF) abrir um inquérito e investigar o presidente Jair Bolsonaro por prevaricação no caso da negociação da vacina indiana Covaxin, que foram levantadas pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) e o irmão dele, o servidor Luis Ricardo Miranda, na CPI da Covid. O contrato com a Covaxin foi suspenso nesta semana, mais de 3 meses depois da primeira denúncia de fraude.

De acordo os irmãos Miranda, eles contaram pessoalmente ao presidente Jair Bolsonaro sobre o que estava ocorrendo. A PGR queria aguardar a conclusão da CPI da Covid, para evitar um conflito nas apurações, mas voltou atrás após a ministra Rosa Weber, do STF, cobrar uma posição do órgão e afirmar que as investigações não impedem a atuação do Ministério Público Federal (MPF).

> Jair Bolsonaro tira máscara em entrevista e manda repórter calar a boca; veja vídeo

> "Quem fala 'fora Bolsonaro' devia estar viajando de jegue", diz Jair Bolsonaro; veja vídeo

“O exercício do poder público, repito, é condicionado. E no desenho das atribuições do Ministério Público, não se vislumbra o papel de espectador das ações dos Poderes da República”, escreveu a ministra do STF, Rosa Weber.

O que é prevaricação?

A prevaricação está prevista no artigo 319 do Código Penal brasileiro e tem pena prevista de até um ano de detenção. "Retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal", diz a definição da Lei. O que a PGR acusa o presidente é dele não ter comunicado uma suposta irregularidade e, com isso, evitar que pudesse ser investigada.

Mais Lidas