VIOLÊNCIA

Roberta, mulher trans queimada no Recife, tem piora e é intubada novamente

Roberta Silva, uma mulher trans de 32 anos, está internada no Hospital da Restauração após ter 40% do corpo queimado

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 05/07/2021 às 16:33
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

É grave o estado de saúde da mulher transexual queimada por uma adolescente no Cais de Santa Rita, na área central do Recife. Roberta Silva, de 32 anos, continua internada no Hospital da Restauração.

A paciente, que já passou por duas cirurgias para amputação completa de um braço e parcial do outro, apresentou uma piora e precisou ser intubada novamente, neste domingo (4).

O chefe do setor de queimados do HR, Marcos Barreto, afirmou que Roberta vai voltar para a unidade de terapia intensiva (UTI). "Ela começou a ter depressão respiratória. Foram feitas todas as manobras necessárias para não fazer procedimentos invasivos (...) Como ela não respondeu, ela foi para a ventilação mecânica. Hoje, pela manhã, fizemos um novo procedimento cirúrgico para retirar tecido morto do restante das queimaduras, que são bastante extensas, principalmente no tronco e costas", disse.

>> A morte assombra a gente o tempo todo, diz primeira deputada travesti de Pernambuco, Robeyoncé Lima

>> Suspeito de atear fogo em mulher trans, adolescente cumpre internação provisória na Funase

Relembre o caso

Vivendo nas ruas do centro do Recife, Roberta Silva, de 32 anos de idade, teve 40% do corpo queimado na madrugada da quinta-feira (24). Em conversa com a codeputada estadual Robeyoncé Lima (Juntas/Psol), Roberta disse que a violência foi motivada por preconceito. A comunidade LGBTQIA+ de Pernambuco trata o caso como transfobia.

Um adolescente de 17 anos, suspeito de cometer a agressão, foi apreendido e cumpre medida socioeducativa em uma unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

Mais Lidas