rota de colisão

Fim dos tempos? Entenda o plano da China para desviar trajeto de asteroide que pode acabar a Terra

Apesar de lembrar, a operação é real e não se trata de um filme de ficção científica. Os cálculos do asteroide já foram feitos

Com informações de Folha de São Paulo
Com informações de Folha de São Paulo
Publicado em 08/07/2021 às 18:23
NASA
FOTO: NASA
Leitura:

Diante da possibilidade de um corpo celeste entrar em rota de colisão com a Terra, em algum momento, seis pesquisadores chineses traçaram um plano para enviar 23 dos maiores foguetes da China para extinguir qualquer risco do asteroide atingir o nosso planeta. Mas por que isso? Como num filme de ficção científica, os especialistas afirmam que a colisão poderia acabar com vida na Terra.

As simulações matemáticas, feitas por cientistas do Centro Nacional de Ciências Espaciais da China, apontam que a estratégia de foguetes vai atingir simultaneamente um grande asteroide e, com isso, poderia desviá-lo do caminho original a uma distância de 1,4 vezes o raio da Terra. O estudo do asteroide foi publicado na revista científica Icarus.

Em que se baseiam os cálculos?

Os cálculos são baseados em um asteroide chamado Bennu, que orbita o Sol e tem 381 metros de altura. O Bennu pertence a uma classe de rochas com potencial para causar danos regionais ou continentais. A estimativa é que os asteroides que medem mais de 1 km podem gerar consequências em todo o planeta Terra.

> Coleção de fotos raras mostra momentos inéditos da chegada à Lua

> Confira como foi o eclipse da Superlua conhecida como Lua das Flores e Lua de Sangue

O asteroide Bennu viaja em torno do Sol a uma velocidade de 101.389 km/h e pode ser visto a cada seis anos a partir da Terra. Aquecido pela luz solar, o asteroide aumenta a temperatura e emite radiação térmica em diferentes sentidos durante o movimento de rotação e com o tempo altera a órbita. Esse fenômeno é conhecido como Efeito de Yarkovsky.

Mais Lidas