Vacina russa Sputnik V: saiba mais sobre o imunizante que deve chegar ao Brasil na próxima quinta-feira (28)

A vacina tem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso em condições controladas.

CORONAVÍRUS
Vacina russa Sputnik V: saiba mais sobre o imunizante que deve chegar ao Brasil na próxima quinta-feira (28)

Sputnik V é considerada segura e eficaz. - Foto: Reuters/Direitos reservados

Mais de 1 milhão de doses da vacina russa Sputnik V chegarão ao Brasil na próxima quinta-feira, 28 de julho, através do Aeroporto do Recife. A notícia foi anunciada pelos governadores do Consórcio Nordeste, nessa terça-feira (20). O imunizante tem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso em condições controladas. No total, 1,6 milhão de doses já estão prontas para a importação.

>>>Sputnik V: quais as reações da vacina? pode beber depois de ser imunizado?

>>>Sputnik V: É seguro tomar a vacina? veja dúvidas levantadas pela Anvisa que foram respondidas pela Rússia

Nesta quarta-feira (21), às 14h, o Consórcio Nordeste fará uma reunião com o Fundo Soberano Russo, que financiou o desenvolvimento da Sputnik, para fechar o cronograma de chegada das doses. Mas o imunizante é realmente seguro? Existem reações? Pode beber depois de ser vacinado? Esses são algumas dúvidas respondidas na listagem abaixo. 

>>>CoronaVac, AstraZeneca, Pfizer ou Janssen? Veja diferenças entre as vacinas aplicadas no Brasil

>>>Pode consumir bebida alcoólica após tomar vacina da Sputnik V ?

É seguro tomar a vacina Sputnik V ?

O perfil de segurança foi considerado satisfatório. Nenhuma das reações adversas graves encontradas no estudo foi atribuída às doses, de acordo com um comitê independente de monitoramento dos dados. Foram observadas quatro mortes, mas, de novo, nenhuma teve relação com a vacina.

Quais as possíveis reações da vacina Sputnik V ?

Os efeitos colaterais mais observados foram desconforto no local da injeção, dor de cabeça, cansaço e sintomas gripais leves. 

Associação ao álcool

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), envolvida nas decisões do Programa Nacional de Imunização (PNI), informou que nenhuma vacina, incluindo todas para prevenir a covid-19, contraindica o consumo de bebidas alcoólicas ou exige precauções. Não há qualquer interferência na resposta imunológica ou aumento do risco de eventos adversos. 

É importante ressaltar, no entanto, que o uso crônico e abusivo de álcool pode enfraquecer o sistema imunológico, aumentar o risco de infecções por vírus e bactérias, além de trazer diversos outros prejuízos à saúde e à vida.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.