Placar olímpico: confira resultados de hoje do Brasil no futebol e em outras modalidades

Brasil já bateu o recorde de medalhas conquistas em uma única edição de Jogos Olímpicos

OLIMPíADAS DE TóQUIO
Placar olímpico: confira resultados de hoje do Brasil no futebol e em outras modalidades

Ele prometeu e cumpriu! Isaquias Queiroz conquistou o ouro na canoagem de velocidade - Foto: Miriam Jeske/ COB

Com informações da Agência Brasil | Atualizada em 30.07.21, às 13h38

Reportagem em atualização

O Brasil vai encerrar as Olimpíadas de Tóquio com uma ótima campanha. O país já bateu o recorde de medalhas conquistas em uma Olimpíada. Veja quantas medalhas o Brasil já venceu e em quais modalidades. 

SÁBADO (7) 


FU
TEBOL 

O ouro é nosso! O ponto mais elevado do pódio é brasileiro! Em um jogo de tirar o fôlego no Estádio de Yokohama, neste sábado (7), a Seleção Olímpica Masculina superou a Espanha por 2 a 1, com gols de Matheus Cunha e Malcom, e conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a segunda do Brasil na história. Veja aqui os melhores momentos da partida.

 


BOXE

Foi no sufoco, após perder os dois primeiros rounds, mas foi com muita emoção que o brasileiro Hebert Conceição conquistou, neste sábado (7), a medalha de ouro na categoria até 75kg do boxe nas Olimpíadas de Tóquio. O baiano venceu o ucraniano Oleksandr Khyzniak, campeão mundial de 2017, por nocaute no terceiro assalto. Reveja aqui o nocaute do brasileiro no rival ucraniano.  


VÔLEI

A seleção brasileira masculina de vôlei terminou na quarta colocação nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Na tarde deste sábado no Japão (madrugada no Brasil), a equipe do técnico Renan Dal Zotto foi derrotada pela Argentina, por 3 sets a 2, parciais de 23/25, 25/20, 25/20, 17/25 e 12/15, em 2h17 de partida, na Ariake Arena.


HIPISMO

A equipe brasileira de hipismo saltos terminou os Jogos de Olímpicos de Tóquio na sexta colocação. Neste sábado, 7, Marlon Zanotelli, Pedro Veniss e Yuri Mansur disputaram a final da competição e tiveram um total de 29 pontos perdidos. A medalha de ouro ficou com os Estados Unidos, a prata, com a Suécia, e o bronze, com a Bélgica.


SALTOS ORNAMENTAIS 

Kawan Pereira, de apenas 19 anos, único brasileiro na final de saltos ornamentais em Tóquio, fez 393.85 e conquistou a 10° colocação. É a melhor colocação de um brasileiro nesta plataforma em Jogos Olímpicos. A final aconteceu na madrugada deste sábado (7). 

O atleta mais novo da maior delegação de saltos ornamentais da história olímpica brasileira fez um bom segundo salto e terminou com  79.20. Mas o salto seguinte acabou não saindo como ele gostaria e somou 46.20.  

Kawan foi o único brasileiro da modalidade que avançou para as semifinais. Isaac e Ingrid pararam nas eliminatórias. 

A final masculina da plataforma de 10 metros dos saltos ornamentais contou com apresentações nota 10 do medalhista de ouro, Yun Cao (pontuação total 582.35), e do britânico Thomas Daley, que ficou com o bronze (548.25). O chinês Jian Yang chegou a 580.40 e garantiu a medalha prata.

SEXTA-FEIRA (6) 


CANOAGEM

Isaquias Queiroz fez história na noite desta sexta-feira (6) no Canal Sea Forest. O baiano faturou a medalha de ouro na prova do C1 1000 metros (m) da canoagem de velocidade na Olimpíada de Tóquio (Japão).

Correndo na raia 4, o atleta cravou a marca de 4min04s408. O chinês Hao Liu ficou com a medalha de prata com 4min05s724. O bronze foi para Serghei Tarnovschi, da República da Moldavia, com o tempo de 4min06s069.

Essa é a 4ª medalha do atleta baiano na história das Olimpíadas. Nos Jogos de 2016 (Rio de Janeiro), ele já havia faturado duas pratas, no C1 1000 m e no C2 1000 m, e o bronze no C1 200 m. Agora o baiano se iguala ao líbero Serginho e ao nadador Gustavo Borges, dupla que também tem quatro medalhas olímpicas na carreira.

 


GINÁSTICA RÍTMICA 

A equipe brasileira de ginástica rítmica não avançou à final da modalidade na Olimpíada de Tóquio (Japão) após finalizar a etapa classificatória na 12ª colocação, com 73.250 pontos, na noite desta sexta-feira (6) no Centro de Ginástica de Ariake.

O time brasileiro foi composto por Beatriz Linhares, Deborah Medrado, Geovanna Santos, Maria Eduarda Arakaki e Nicole Pírcio.

Das 14 seleções participantes da etapa classificatória, apenas as 10 primeiras seguiram adiante. A liderança foi da Bulgária, que obteve 91.800 pontos. Logo atrás veio o Comitê Olímpico Russo, com 89.050 pontos, e a Itália, com 87.150 pontos. A disputa de medalhas está prevista para a noite do próximo sábado (7), a partir das 23h (horário de Brasília). 

 

TERÇA-FEIRA (3)

FUTEBOL MASCULINO

Brasil vence México e vai para a final

O Brasil venceu México e garantiu vaga na final do futebol nas Olimpíadas de Tóquio. O jogo foi para os pênaltis e acabou em 4x1 para o Brasil, com gols de Daniel Alves, Bruno Guimarães, Gabriel Martienlli e Reiner. AGora, Brasil enfrenta Japão ou Espanha, no próximo sábado. Veja melhores momentos, clicando aqui.


VELA

Martine Grael e Kahena Kunze ganham medalha de ouro na classe 49er FX 

A dupla brasileira Martine Grael e Kahena Kunze conquistou o bicampeonato olímpico da classe 49er FX da vela no início da madrugada desta terça-feira (3) na Marina de Enoshima. A confirmação do ouro na Olimpíada de Tóquio (Japão), com 76 pontos perdidos, veio com a terceira colocação na regata da medalha. A dupla da Alemanha Tina Lutz e Susann Beucke fechou a prova desta terça na quinta colocação, e ficou com a medalha de prata, com 83 pontos perdidos. As holandesas Annemiek Bekkering e Annette Duetz foram a nona melhor dupla na regata decisiva e fecharam o pódio, conquistando o bronze com 88 pontos perdidos.


BOXE

Abner fatura 1º bronze no boxe; Bia vence e avança à semi em Tóquio

O boxe brasileiro conquistou na manhã desta terça-feira (4) uma medalha de bronze na  Olimpíada de Tóquio (Japão) com Abner Teixeira (91 quilos) e assegurou outra, antecipadamente, com a peso leve Bia Ferreira, única que venceu nesta terça-feira (3), na Arena Kokugikan, na capital japonesa. Favorita ao ouro, a campeã mundial avançou às semifinais na categria até 63 kg. Como na modalidade não há disputa de terceiro lugar, quem ganha nas quartas já garante o bronze. O país tem ainda um terceiro bronze encaminhado com Hebert Conceição (75 kg) que disputa a semi na quinta (5), às 3h (horário de Brasília). 


ATLETISMO

Thiago Braz leva bronze no salto com vara

Thiago Braz, campeão nas Olimpíadas do Rio em 2016, sobe novamente ao pódio. Desta vez, ele ficou em terceiro lugar, após conseguir os 5m87, mas errar três vezes os 5m92. Veja os melhores momentos e reveja vídeo da vitória, clicando aqui.

Alison dos Santos é bronze nos 400 m com barreiras

O brasileiro Alison dos Santos conquistou a medalha de bronze na prova dos 400 metros (m) com barreiras da Olimpíada de Tóquio (Japão), na madrugada desta terça-feira (2) no Estádio Olímpico. Essa foi a primeira medalha do atletismo do Brasil na atual edição dos Jogos Olímpicos. O paulista de 21 anos cravou o tempo incrível de 46s72, quebrando o recorde sul-americano e baixando pela primeira vez a marca de 47 segundos. O ouro ficou com o norueguês Karsten Warholm, que quebrou o recorde mundial fechando a prova, pela primeira na história, em menos de 46 segundos (45s94). O norte-americano Rai Benjamin ficou com a prata com a marca de 46s17.


VÔLEI MASCULINO

Vôlei: seleção masculina supera Japão e pega Comitê Russo na semi

O time brasileiro de vôlei masculino, atual campeão olímpico, derrotou o anfitrião Japão por 3 sets a 0 na terça-feira para chegar às semifinais, em que enfrentará o Comitê Olímpico Russo (ROC), que venceu o Canadá também por 3 sets a 0.

O Japão avançou às quartas de final pela primeira vez em 29 anos, mas o atual campeão Brasil derrotou os anfitriões por 25/20, 25/22 e 25/20 na Ariake Arena, com saques e ataques poderosos.

O maior pontuador foi Leal, com 16 pontos


GINÁSTICA

Ginástica artística: Flávia Saraiva fica na sétima posição na trave

Fechando a participação brasileira na ginástica artística, a carioca Flávia Saraiva representou o país nesta terça-feira (3) na final da prova da trave na Olimpíada de Tóquio e ficou na sétima posição. Flavinha, de 20 anos, somou um total de 13.133 pontos na tabela de classificação. A disputa aconteceu no Centro de Ginástica de Ariake, na capital Tóquio.

A ginasta brasileira foi a sétima competidora a se apresentar. Logo no início de sua atuação, ela se desequilibrou duas vezes. Na sequência, Favinha precisou colocar a mão no aparelho, o que lhe tirou as chances de subir ao pódio. Flávia Saraiva teve desempenho pouco inferior ao obtido na última edição dos Jogos Olímpicos. Na Rio 2016, a ginasta encerrou como a quinta colocada.


SEGUNDA-FEIRA (2)


GINÁSTICA 

Solo (final)

A paulista Rebeca Andrade encerrou nesta segunda-feira (2) sua participação na Olimpíada de Tóquio (Japão) na quinta colocação da prova do solo na ginástica artística. Ao som de Baile de Favela, a atleta de 22 anos fez uma apresentação bem-sucedida na final, entretanto deu passo para fora do tablado na primeira acrobacia, o que lhe fez perder um décimo. Rebeca somou 14.033 pontos, ficando atrás em 0.133 das medalhistas de bronze, a japonesa Mai Murakami e Angelina Melnikova, do Comitê Olímpico Russo, que empataram com 14.166 pontos.

Argolas (final)

Medalhista de ouro na Olimpíada de Londres 2012 e de prata na Rio 2016, o brasileiro Arthur Zanetti se despediu na madrugada desta segunda (2) de Tóquio sem subir ao pódio. O paulista ficou na oitava colocação na prova de argolas na ginástica artística, com 14.133 pontos obtidos na final.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.