Política

“Bolsonaro já cometeu crime de responsabilidade em três oportunidades”, diz Fernando Haddad; veja lista


Para o ex-candidato à Presidência da República pelo PT, Bolsonaro deveria sofrer impeachment, mas reconhece que cenário político é desfavorável para o processo

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 05/08/2021 às 10:27
Marcelo Camargo/Agência Brasil
FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

O ex-candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), disse que o atual presidente Jair Bolsonaro deveria sofrer impeachment, já que cometeu crime de responsabilidade “em três oportunidades”. A declaração foi dada em entrevista à Rádio Jornal de Petrolina, na manhã desta quinta-feira (5).

“Eu sou a favor de todo impeachment que tenha como base um crime de responsabilidade. Não há a menor dúvida [de que Bolsonaro cometeu crimes de responsabilidade]. Em relação à pandemia, ele cometeu vários. Ele sabotou o combate à pandemia, contra a saúde pública do país por três oportunidades: No começo da pandemia, ao não seguir a recomendação da ciência. [Depois,] quando surgiu a vacina, ao atrasar por 4 meses a compra da vacina, colocando intermediários visando o enriquecimento ilícito. E cortando o auxílio emergencial no início do ano, que gerou a segunda onda, com mais mortes do que na primeira [onda]”, elencou o petista, que também é ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação.

Apesar de ver motivos para o processo de impeachment, Haddad reconhece que o cenário político dificulta o afastamento de Bolsonaro. “Nós entramos com o pedido de impeachment quando ele cometeu o primeiro crime de responsabilidade em abril de 2020. Sós teríamos salvado 400 mil vidas, se tivéssemos afastado o presidente naquele momento certo. O centro não quis o afastamento naquele momento, deixou o PT falando sozinho. Agora, faltando um ano para as eleições, vai ficando tudo mais difícil e, talvez, inconveniente”, analisou Haddad na entrevista.

Lula candidato?

Para Fernando Haddad, Lula deve ser o candidato do PT à Presidência em 2022. “O Lula é prestigiado no mundo inteiro. Ele conhece o Putin [presidente da Rússia], o Biden [presidente dos Estados Unidos], a Merkel [chanceler alemã], ele conhece todo mundo. O Brasil não tem tempo a perder. Ele é de longe o mais experiente.. Tem relações internacionais sólidas, ele é a pessoa mais indicada para recolocar o país nos trilhos. O Brasil nos trilhos reage muito rápido. Nós estamos nessa crise desde 2014, desde a reeleição da Dilma. Jogaram o país em uma crise política e nós precisamos sair dela”, defendeu.

Ouça a entrevista na íntegra:


Mais Lidas