decisão

Talibã anuncia anistia geral no Afeganistão. O que é e qual o objetivo no país?


O grupo extremista também quer que as mulheres do Afeganistão se juntem ao governo

Com informações da Veja
Com informações da Veja
Publicado em 17/08/2021 às 13:54
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

O Talibã anunciou, nesta terça-feira (17), uma anistia geral em todo o Afeganistão, na tentativa de acalmar os ânimos da população após os acontecimentos gerados pelo medo do grupo extremista, que ocasionou desespero e tragédias como milhares de pessoas em aviões na tentativa de escapar do país. Além dessa decisão, o grupo extremista quer que as mulheres afegãs se juntem ao governo. Em entrevista à rede de notícias Tolo News, um membro da comissão cultural do Talibã afirmou que elas não sejam vítimas. Entenda abaixo o que é anistia e por que tal escolha:

O que é anistia?

O significado da palavra anistia, em português, quer dizer esquecimento. O termo é usado para perdoar condutas que são reprováveis. Historicamente, a anistia é concedida na transição de regimes, guerras, grandes comoções públicas e outros fatos semelhantes. No caso do Talibã, a decisão foi por uma anistia geral. Ou seja, os crimes cometidos e já julgados podem ser perdoados pelo grupo extremista no Afeganistão.

> Avião para 100 passageiros decola do Afeganistão quase 700 pessoas, na tentativa de fugir do Talibã

O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, justificou a decisão de deixar o país. após o Taleban chegar à capital Cabul. Em publicação no Facebook, ele afirmou que quis evitar um "banho de sangue", pois os extremistas pretendem atacar a população local e, se o governo decidisse continuar lutando, o resultado seria um "desastre humano".

Qual o objetivo da anistia no Afeganistão?

Após a ''ordem ser restabelecida'', o objetivo é evitar a perpetuação do conflito ou reconhecer que a situação anterior é injusta e, sendo assim, ''deve ser esquecida''. A decisão por uma anistia geral do Talibã pode ter haver com o período em que governou o Afeganistão entre 1996 a 2001, sendo considerado de extrema violência.

> Vídeo: Pessoas caem de avião ao tentar fugir do Afeganistão com chegada do Talibã

> Após presidente ir embora, nações pedem ao Talibã segurança de quem quer deixar o Afeganistão

Os atuais líderes do grupo pedem que as pessoas confiem no Talibã e na estrutura governamental baseada na lei sharia. No entanto, não entraram en detalhes de como a lei islâmica será interpretada. Matéria em atualização.

Qual é a estratégia do Talibã?

O Talibã busca a ressurreição completa do emirado islâmico, que governou o Afeganistão entre 1996 e 2001, seja por meio do diálogo, da força, ou com uma combinação dos dois, além de vários ataques com diversos alvos em todo. O primeiro ato foi negociar a saída de tropas americanas e estrangeiras do Afeganistão, através de acordo com os Estados Unidos, após mais de 20 anos de guerra.

> Vídeo: Pessoas caem de avião ao tentar fugir do Afeganistão com chegada do Talibã

Eles também prometeram não atacar alvos americanos durante a retirada. O governo dos Estados Unidos também exigiu a liberdade de milhares de prisioneiros talibãs, sendo que a maioria deles voltou às fileiras insurgentes.

O que pode ser feito e como ajudar as pessoas?

O secretário geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antônio Guterres, conclamar que todas as partes em conflito no Afeganistão devem exercer a máxima contenção para proteger as vidas das pessoas e garantir os direitos humanos. Diante disso, Thales Castro comentou sobre qual o caminho para mudar a situação do país.

> Vídeo: Pessoas caem de avião ao tentar fugir do Afeganistão com chegada do Talibã

''No campo político, tem muito pouco do que pode ser feito. Eu percebo que é uma tragédia anunciada. A gente percebe que dois países importantes no cenário mundial formataram algum tipo de suporte: China e Rússia. Com a retirada das tropas dos Estados Unidos, simbolicamente é uma vitória dos chineses. Com isso, vão poder usar o território do Afeganistão para a reconstrução da infraestrutura do país. Isso traz mudanças geopolíticas no mundo todo'', afirmou o cientista político em entrevista a Rádio Jornal sobre o Afeganistão hoje.

''Reconhecimento internacional''

A crise humanitária instalada no Afeganistão, desde quando o Talibã decretou vitória contra o governo, é repercussão em todo o mundo. Muitas pessoas tentam entender o que está acontecendo na região e o motivo da população tentar deixar o país. Em entrevista ao Passando a Limpo, da Rádio Jornal, o geógrafo com passagem pelo Oriente Médio, João Correia, contou qual o principal objetivo do grupo extremista a partir da tomada de poder na cidade de Cabul, capital do Afeganistão, que aconteceu no dia 15 de agosto. Confira abaixo o áudio com a entrevista completa:

> O que está acontecendo no Afeganistão? O que é o Talibã? Entenda a situação do país

De acordo com o geógrafo, com passagem pelo Oriente Médio, João Correia, o discurso 'morno' do Talibã não é surpresa. ''Eu já esperava que o Talibã, que é uma milícia com prática medievais e deturpa boa parte do islamismo, tivesse uma prática mais diplomática. Eles disseram que o grupo 'amadureceu e no âmbito das mulheres queremos a participação delas'. O que percebo é que, nesse primeiro momento, o Talibã tenta passar uma tranquilidade. Quando as pessoas souberam que o grupo chegou, começaram a fugir. São pessoas que tem lembranças do período entre 1996 e 2021'', contou.


Mais Lidas