CORONAVÍRUS

Estudo revela mais um risco da covid-19 para grávidas; saiba mais

Covid-19 também pode ser um risco para grávidas que tenham a forma assintomática da doença

Da Agência Brasil
Da Agência Brasil
Publicado em 18/08/2021 às 15:36
Imagens/ TV Brasil
FOTO: Imagens/ TV Brasil
Leitura:

Um estudo coordenado no Brasil pela professora Dulce Elena Casarini, da Escola de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), publicado na revista Clinical Science, descobriu que a covid-19 apresenta mais um risco para as gestantes.

Segundo a pesquisa, grávidas infectadas com a covid-19 correm mais risco de desenvolver pré-eclâmpsia, que é o aumento da pressão arterial persistente durante a gestação. A condição pode trazer graves complicações para a mãe e para o bebê.

>> Secretário de Saúde de Pernambuco fala em aumento de mortalidade materna e pede que grávidas se vacinem contra covid-19

>> Gestantes que tomaram 1ª dose da vacina AstraZeneca podem tomar a 2ª dose da Pfizer, diz Ministério da Saúde

>> Aumenta mortalidade materna no Brasil pela covid-19

De acordo com a pesquisadora, a presença do novo coronavírus no organismo das gestantes pode provocar alterações nos níveis de uma enzima que tem funções importantes para a circulação sanguínea na placenta, e também é receptora do vírus.

“Por ser também receptora do SARS-CoV-2, [a placenta] acaba promovendo um risco maior em quadros de covid-19 pois o órgão se torna alvo do vírus assim como o pulmão, os rins e o coração. Vimos nesse trabalho que a resposta varia muito de uma paciente para outra, mas leva, sem dúvida, a formas graves da doença”, disse.

Dulce Elena Casarini destaca que, de acordo com o Observatório Obstétrico Brasileiro Covid-19 da Fiocruz, as mortes maternos em 2021 já superaram o número de 2020 e o cenário é preocupante. “Em 2020, foram 544 óbitos, com média semanal de 12,1 óbitos, considerando que a pandemia se estendeu por 45 semanas epidemiológicas. Até 26 de maio deste ano, transcorridas 20 semanas epidemiológicas, foram registrados 911 óbitos, com uma média semanal de 47,9 mil óbitos”, destacou.

Assintomáticas também podem ser afetadas

O estudo mostrou também que a infecção por SARS-CoV-2 durante a gravidez aumenta a probabilidade de hipertensão gestacional e pré-eclâmpsia, mesmo entre as mulheres assintomáticas. Quadros graves de covid-19 também contribuem para nascimento de bebês prematuros.

Novos estudos, que contam com a parceria do Centro Integrado Universitário de Saúde e Serviços Sociais de Montreal, no Canadá, buscam entender a maior disposição de gestantes a contrair o novo coronavírus e o papel da doença na pré-eclâmpsia.

Mais Lidas