governo

Jair Bolsonaro decide vetar artigo que previa fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões, diz colunista

O prazo para para sancionar ou vetar o artigo do fundo eleitoral se encerra nesta sexta-feira (20)

Com informações do G1
Com informações do G1
Publicado em 20/08/2021 às 13:26
Reprodução do Youtube
FOTO: Reprodução do Youtube
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro decidiu vetar todo o artigo da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que definia regras para o Fundo Eleitoral que poderia ter o valor de R$ 5,7 bilhões, de acordo com o colunista Valdo Cruz, do G1. O artigo previa que o dinheiro seria financiado com base em 25% do orçamento da Justiça Eleitoral dos anos de 2021 e 2022. O novo valor do fundo será definido na votação do Orçamento Geral da União.

> Bolsonaro admite que não tem provas de supostas fraudes em eleições

Ainda de acordo com o colunista, a equipe econômica do Governo Federal defende uma verba de R$ 2,1 bilhões, que seria a correção do último valor pela inflação. O presidente Jair Bolsonaro deve oficializar a decisão sobre o fundo eleitoral ainda nesta sexta-feira (20), pois é a data final para para sancionar ou vetar o artigo.

> Jair Bolsonaro chama presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, de ''filho da puta''; veja vídeo

"É uma cifra enorme, que, no meu entender, está sendo desperdiçada, caso ela seja sancionada. Posso adiantar para você que não será sancionada. Eu tenho que conviver em harmonia com o Legislativo. E nem tudo que eu apresento ao Legislativo é aprovado e nem tudo que o Legislativo aprova, vindo deles, eu tenho obrigação de aceitar para o lado de cá. Mas a tendência nossa é não sancionar isso daí em respeito ao trabalhador, ao contribuinte brasileiro", afirmou Bolsonaro em entrevista em julho. Confira abaixo quanto cada partido receberia em caso de aprovação:

Partido / Previsão 2022 (em R$ milhões) / 2020 (em R$ milhões)

  • PSL; 567,71; 199,44
  • PT; 566,67; 201,30
  • MDB; 426,43; 148,25
  • PSD; 384,77; 138,87
  • PP; 384,49; 140,67
  • PSDB; 377,12; 130,45
  • PL; 352,40; 117,62
  • DEM; 323,08; 120,81
  • PSB; 308,52; 109,54
  • PDT; 290,48; 103,31
  • Republicanos; 283,38; 100,63
  • Podemos; 218,81; 77,97
  • PTB; 131,01; 46,66
  • Solidariedade; 129,52; 46,04
  • PSOL; 114,82; 40,63
  • PROS; 104,76; 37,19
  • Novo; 103,41; 36,56
  • PSC; 98,94; 33,24
  • Cidadania; 95,31; 35,82
  • Patriota; 92,60; 35,14
  • PCdoB; 87,29; 30,94
  • Avante; 79,44; 28,12
  • Rede; 79,25; 28,43
  • PV; 57,99; 20,50
  • PTC; 14,14; 9,50
  • PMN; 3,45; 5,87
  • DC; 3,45; 4,02
  • PCB; 3,45; 1,23
  • PCO; 3,45; 1,23
  • PMB; 3,45; 1,23
  • PRTB; 3,45; 1,23
  • PSTU; 3,45; 1,23
  • UP; 3,45; 1,23

Fundo eleitoral

O relator, deputado Juscelino Filho (DEM-MA), havia incluído um dispositivo no artigo. Além de ser composto por uma parte das emendas de bancada estaduais, o fundo eleitoral receberia 25% dos recursos que a Justiça Eleitoral teve em 2021 e terá em 2022.

O valor de R$ 5, 7 milhões é 185% maior do que o gasto em 2020, sem descontar a inflação. Na ocasião, os partidos tiveram R$ 2 bilhões de fundo eleitoral. Já em 2018, último ano de eleições presidenciais, o valor foi de R$ 1,7 bilhão.

> 'Nem Lula, nem Bolsonaro. Nem horror, nem terror', diz João Doria ao Nordeste sobre eleições 2022

Vale lembrar que os vetos do presidente da República a trechos de projetos aprovados pelo Congresso Nacional devem ser analisados pelos parlamentares, que podem manter ou derrubar.

Mais Lidas