caso de polícia

Tentativa de feminicídio: homem é preso após esfaquear a esposa grávida em Caruaru

A Polícia Militar foi acionado pela irmã do suspeito, pois ela temia pela vida dele, por causa da revolta da população

Publicado em 01/09/2021 às 8:39
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

A Polícia Militar prenderam um homem apontado como responsável por uma tentativa de feminicídio, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O suspeito teria esfaqueado a esposa, que está grávida, na noite desta terça-feira (31). Os policiais foram acionados pela própria irmã do agressor, que temia pela vida dele, devido à revolta de populares e parentes da vítima. A mãe e a irmã do agressor foram as primeiras a entrar na casa para prestar socorro à mulher.

> Taxista é espancado até a morte após tentar matar ex-companheira e a mãe dela e assassinar a ex-cunhada

Ainda segundo a PM, a mãe do suspeito relatou que ela quem tomou a faca usada pelo filho e jogou em algum lugar, mas a arma não chegou a ser encontrada pelos policiais. Diante dos fatos, o suspeito e as testemunhas foram encaminhados para a Delegacia de Plantão do município. A vítima foi levada para o Hospital Regional do Agreste.

Crimes de feminicídio

O Projeto de Lei 1568/19 da deputada Rose Modesto (PSDB-MS) pretende aumentar a pena dos acusados de crime de feminicídio para 20 anos. Atualmente, o Código Penal prevê de 12 a 30 anos. De acordo com a deputada, os altos índices de crimes cometidos contra mulheres no Brasil justificam a mudança.

> Feminicídio: Homem mata ex-companheira após vê-la dançando com outra pessoa em bar

Além da mudança da pena para os casos de feminicídio, o projeto também acaba com a progressão de regime para os condenados pelo crime de feminicídio. A medida, porém, já foi efetivada em 2019 pela Lei Anticrime. A deputada afirma quer a punição mais rigorosa “contribuirá para a efetivação da proteção da vida das mulheres brasileiras.”

#UmaPorUma

A violência contra a mulher é constante e frequentemente acaba em tragédia. Existe uma história para contar por trás de cada feminicídio, em Pernambuco. O especial Uma por uma contou todas. Em 2018, o projeto mapeou onde as mataram, as motivações do crime, acompanharam a investigação e cobraram a punição dos culpados. Um banco de dados virtual, com os perfis de vítimas e agressores, além dos trágicos relatos que extrapolam a fotografia da cena do crime. Confira o especial Uma por Uma AQUI.

Mais Lidas