POLÍTICA

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nega que tenha pedido ao presidente para deixar o cargo


Site O Bastidor divulgou informação de que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, teria pedido demissão do cargo

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 02/09/2021 às 18:49
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante coletiva, após reunião do Comitê de Coordenação Nacional de Enfrentamento da Pandemia de Covid-19 - FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante coletiva, após reunião do Comitê de Coordenação Nacional de Enfrentamento da Pandemia de Covid-19 - FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Leitura:

Após circular na internet a informação de que teria pedido demissão ao presidente Jair Bolsonaro do Ministério da Saúde, Marcelo Queiroga foi enfático ao desmentir a notícia. “Não pedi, nem vou pedir demissão”, disse o ministro da Saúde durante coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (2).

O ministro da Saúde afirmou que há uma “indústria de boatos” que tenta desestabilizar o governo. “Não sei a quem interessa a indústria de boatos, de fake news, somente para tentar desestabilizar o governo inventando divisões do Ministério da Saúde“, criticou Marcelo Queiroga. "Estarei aqui no Ministério da Saúde até o dia que o presidente da República entender que eu sou útil à nação brasileira", completou.

Marcelo Queiroga é o quarto ministro da Saúde do governo do presidente Jair Bolsonaro. Antes de Marcelo Queiroga, passaram pela pasta Eduardo Pazuello (junho de 2020 até março de 2021), Nelson Teich (abril de 2020 até maio de 2020) e Henrique Mandetta (janeiro de 2019 até abril de 2020).

Queiroga também se manifestou no Twitter e criticou a notícia.

  

Site divulgou informação

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, comunicou ao presidente Jair Bolsonaro que deixará a pasta, segundo afirma o site O Bastidor, do jornalista Diego Escosteguy. Segundo o portal, Queiroga deve permanecer na pasta até que o presidente encontre um substituto. A informação foi revelada na tarde desta quinta-feira (2).

Ainda de acordo com o site, o presidente Jair Bolsonaro tentou convencer o ministro a se manter no cargo, mas não obteve sucesso. Queiroga disse que o Ministério da Saúde está profundamente dividido em meio à crise e que não consegue impor sua autoridade.


Mais Lidas