Coronavírus

Covid-19: Pernambuco confirma 430 casos e 12 óbitos nesta quinta-feira (16)

Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE)

Caterine Costa de Oliveira
Caterine Costa de Oliveira
Publicado em 16/09/2021 às 10:50
Marcelo Camargo/Agência Brasil
FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

Pernambuco registrou, nesta quinta-feira (16), 430 casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 20 (equivalente a 4,5%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 410 (equivalente a 95,5%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 614.860 casos confirmados da doença, sendo 53.706 graves e 561.154 leves. Os dados foram divulgados pela Secretária Estadual de Saúde (SES-PE).

É importante destacar que a plataforma do Ministério da Saúde, que realiza o registro dos casos leves (E-SUS Notifica), continua apresentando inconsistências, o que vem impossibilitando o registro de casos recentes.

>> Coronavac, Pfizer, Janssen, Astrazeneca: pode consumir bebida alcoólica após tomar vacina contra a covid-19?

Óbitos

Foram confirmados 12 óbitos, ocorridos entre 19/03/2021 e 14/09/2021. Com isso, o Estado totaliza 19.586 mortes pela Covid-19.

Terceira dose da vacina

Há uma semana, no dia 9 de setembro, teve início a vacinação com a terceira dose da vacina contra a covid-19, na cidade do Recife. O anúncio foi feito pelo prefeito João Campos (PSB), que explicou que a imunização com a dose de reforço começaria por idosos que vivem em instituições de longa permanência. No total, devem ser atendidos quase 800 idosos nesta fase.

Em todo o país, a princípio, apenas idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos poderão receber a terceira dose, por enquanto. O intervalo entre a segunda dose e a terceira precisa ser de, no mínimo, seis meses para os idosos, e de 21 dias para os imunossuprimidos.

A combinação das vacinas é recomendada pelo Ministério, após estudos aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) comprovarem que a resposta imunológica contra a covid-19 não é comprometida pela intercambialidade dos imunizantes.

Conforme orientação do Ministério da Saúde, a dose de reforço será feita, preferencialmente, com o imunizante da Pfizer, independentemente da vacina aplicada na primeira e segunda dose.

Mais Lidas