Polêmica

Suzane Richthofen e os irmãos Cravinhos ganharam dinheiro pelos filmes 'A Menina que Matou os Pais' e 'O Menino que Matou meus Pais'?

Os filmes 'A Menina que Matou os Pais' e 'O Menino que Matou meus Pais', sobre o caso Richthofen, foram lançados na semana passada, na Amazon Prime, e vêm causando polêmica

Com informações do Uol
Com informações do Uol
Publicado em 29/09/2021 às 10:09
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

"A Menina Que Matou os Pais" e "O Menino Que Matou Meus Pais" são filmes lançados no Amazon Prime Video, na semana passada, abordando os eventos anteriores ao assassinato dos pais de Suzane von Richthofen — arquitetado por ela mesma, junto com o namorado, Daniel Cravinhos, e o cunhado, Cristian Cravinhos.

>> Suzane Von Richthofen: confira a linha do tempo do caso

>> VÍDEO: Veja entrevista de Suzane von Richthofen e reportagem provando que advogados dela queriam montar uma farsa

Suzane ou os irmãos Cravinhos tiveram participação no filme?

Por se tratar de um caso que chocou todo o Brasil, algumas polêmicas sobre as produções dos filmes sobre o caso Richthofen acabaram surgindo. Entre as principais dúvidas, uma das mais comentadas nas redes sociais era sobre o envolvimento de Suzane e os irmãos Cravinhos na produção do longa, além da possibilidade de os três receberem dinheiro pelos títulos.

>>> LEIA MAIS: Veja perguntas e respostas sobre Suzane von Richthofen.

>> Entenda a diferença entre as condenações de Suzane von Richthofen e dos irmãos Cravinhos

Em entrevista à Splash, do Uol, Carla Diaz, atriz que vive Suzane nos longas, explicou que não houve contato com a condenada. A produção nunca quis ter tipo de envolvimento com os envolvidos no caso real e eles não têm ligação com as produções dos filmes.

Os roteiros, baseados nos autos do processo, são assinados por Raphael Montes e Ilana Casoy, criminóloga que acompanhou as reconstituições do caso e esteve presente durante o julgamento.

>> Pais dos irmãos Cravinhos: o que Nadja e Astrogildo dizem sobre Suzane von Richthofen? O que fizeram antes e durante julgamento? Veja

>> Como está Andreas Albert, irmão de Suzane von Richthofen?

Vão ganhar dinheiro com os filmes?

Em conversa com Splash, Montes esclareceu que, por se tratar de um caso público, não é necessária a autorização ou envolvimento de ninguém que esteve no caso.

Procurado por Splash, Rodrigo Moraes, advogado e professor de Direito Civil e Propriedade Intelectual da Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, explicou que não é necessário autorização prévia para obras literárias e audiovisuais biográficas. Segundo ele, não há premissa de pagamento de royalties ou qualquer pagamento a título de direito de imagem. Quem tem direito a royalties é o autor da obra audiovisual biográfica, não o personagem biografado.

>> Richthofen: Relembre outros casos que chocaram o Brasil

No caso dos direitos de imagem dos envolvidos, a lei não é tão assertiva, sendo necessário ponderar "a notoriedade do retratado e dos fatos abordados". Para o advogado, por se tratar de um caso notório, e amplamente divulgado pela mídia, Suzane não tem direitos à própria imagem, pois é usada para retratar o crime, um fato histórico.

Caso a personagem biografada tivesse direito a exigir um preço pelo uso de 'sua imagem', numa obra audiovisual biográfica, poderia ser uma censura privada, que é vedada pela Constituição Federal de 1988. Sendo assim, nenhum dos envolvidos recebeu ou receberá qualquer tipo de compensação pelos filmes.

Suzane tentou barrar os filmes

Condenada pela morte dos pais, Suzane von Richthofen cumpre a pena em regime semiaberto e tentou barrar o lançamento dos títulos e impedir a estreia, mas o pedido foi negado pela Justiça.

Mais Lidas