investigação

Defesa de motorista que atropelou advogada em protesto contra Bolsonaro no Recife diz que homem vota no PT e em Lula

Polícia Civil abriu inquérito por tentativa de homicídio contra o motorista

Atualizada às 16h42
Atualizada às 16h42
Publicado em 03/10/2021 às 16:09
Twitter/ PCO
FOTO: Twitter/ PCO
Leitura:

Sérgio Gonçalves, advogado do administrador Luciano Matias Soares, que atropelou uma advogada durante protesto contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no Recife, neste sábado (2), disse que está tranquilo quanto à inocência do seu cliente e afirmo que o atropelamento não teve relação com questões políticas. De acordo com o advogado, seu cliente seria eleitor do Partido dos Trabalhadores (PT).

“Relacionaram ele a ser um aliado de Bolsonaro porque ele foi candidato a vereador pelo PSC em 2012. Vale salientar que em 2012 nem o nome Bolsonaro era falado. Já tenho em mãos ele informando que votou e vota sempre no PT. Tenho documentos que comprovam que ele tá com a bandira do PT. Inclusive, ele falou que vota no presidente Lula. Ou seja, esse fato ocorrido na data de ontem, não é um ato, na minha modéstia opinião, político. Não podemos direcionar ele como se fosse um atentado aos manifestantes. A manifestação é clara, objetiva em relação ao que eles acreditam, mas o Luciano vai provar na hora certa a sua inocência”, afirmou em entrevista ao JC Online.

Tentativa de homicídio

Em nota, a Polícia Civil informou que um inquérito por tentativa de homicídio foi aberto contra Luciano Matias.

Sérgio Gonçalves diz que seu cliente irá prestar novo depoimento, mas que está tranquilo quanto ao rumo das investigações. “A Polícia Civil tem que trabalhar, investigar, ir atrás das provas concretas, ele [o delegado] já ouviu várias pessoas, essas pessoas prestaram depoimento, vai ser dada a oportunidade agora para o Luciano comparecer na delegacia, prestar seu depoimento, deixar no inquérito provas robustas com relação à sua inocência. Estamos tranquilos com relação a essa investigação”, disse.

Ele ainda pede que as pessoas compartilhem as imagens do atropelamento, pois elas vão comprovar a inocência de Luciano. “Ele pede à população, às pessoas dos partidos políticos, amigos, o que for, para que mande imagens. Ele está bem tranquilo em relação a isso porque ele disse que as imagens vão comprovar de fato quem estava certo e quem estava errado”, garantiu.

Veja a nota da Polícia Civil:

A Polícia Civil de Pernambuco, por meio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), instaurou inquérito policial e está investigando uma tentativa de homicídio ocorrida na tarde de ontem (sábado, 02/10), na Avenida Martins de Barros, no bairro de Santo Antônio, quando uma mulher foi atropelada por um homem após a dispersão de uma manifestação politica. O acusado registrou, por sua vez, ocorrência de dano/ depredação do seu veículo na Central de Plantões da Capital (Ceplanc).

A Polícia Civil de Pernambuco tomará todas as providências para a apuração dos fatos.

Versão do motorista

De acordo com o advogado, Luciano teria pedido autorização aos manifestantes para seguir entre os manifestantes com esse carro, mas foi impedido pela advogada no meio do caminho. “Quando chegou na metade para o fim da manifestação, ele foi surpreendido por uma mulher, informando que a partir naquele momento ele não poderia passar mais. Ele ficou assustado porque o carro dele não tem fumê, ele estava sozinho dirigindo. Nós estamos totalmente tranquilos em relação à defesa dele porque acreditamos na palavra do nosso constituinte", contou.

Ainda segundo Sérgio, seu cliente está preocupado com o estado de saúde da advogada.

Entenda o caso

Uma mulher foi atropelada por um Jeep Renegade, após participar do protesto contra o presidente Jair Bolsonaro no centro do Recife na manhã deste sábado (2). O atropelamento aconteceu na Avenida Martins de Barros, próximo à Ponte Maurício de Nassau e ao Armazém do Campo, no bairro de Santo Antônio.

Segundo testemunhas, a vítima ainda chegou a ser arrastada em cima do capô do veículo até depois da estação de BRT, só depois caiu na pista. Ainda assim, de acordo com manifestantes, o motorista do carro passou por cima da vítima.

O motorista que furou o bloqueio e atropelou a vítima, fugiu sem prestar socorro. A vítima, que foi socorrida por equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu, foi levada para um hospital particular do Recife.

A vítima, que prefere ter o nome preservado, faz parte da Comissão de Advocacia Popular da OAB. Ela passou por uma cirurgia no pé e levou pontos na cabeça, mas seu quadro é considerado estável.

Mais Lidas