ECONOMIA

Novo centro de distribuição da Amazon no Cabo de Santo Agostinho deve gerar mais de 800 empregos

O espaço, que possui cerca de 41 mil m², eleva a operação da Amazon para onze centros de distribuição no Brasil

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 05/10/2021 às 18:42
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

O Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, vai ganhar um novo centro de distribuição da Amazon. A empresa anunciou a novidade nesta terça-feira (5). O centro possibilitará a criação de até 860 vagas de emprego e será o segundo no Cabo.

De acordo com a coluna JC Negócios, o Centro de Pernambuco possui cerca de 41 mil m² e já inicia climatizado, comodidade oferecida em centros de distribuição desta escala no País. O edifício foi construído e locado pela empresa pernambucana Armazzena, do empresário Gerson Lucena.

Com novo espaço, a Amazon amplia sua operação no Brasil e sobe para onze o número de centros de distribuição no país: cinco em Cajamar (SP), um em Betim (MG), um em Santa Maria (DF), um em Nova Santa Rita (RS), um em São João do Meriti (Rio de Janeiro) e dois no Cabo de Santo Agostinho (Pernambuco).

As operações no novo prédio levam em conta os protocolos de segurança contra a covid-19 aplicáveis, com soluções de saúde e segurança permanentes. Desde o início da pandemia, a Amazon colocou o bem-estar e saúde de suas equipes como uma de suas prioridades.

O diretor de operações da Amazon no Brasil, Ricardo Pagani, disse que o Nordeste é uma região de extrema importância para a empresa. "Tanto que estamos inaugurando a nossa segunda operação em Pernambuco. A empresa espera implementar em todos os Centros de Distribuição do Brasil um sistema de refrigeração por meio de ar-condicionado, visando um maior conforto e um melhor clima para as mais de 6,3 mil pessoas nas operações", disse.

Como se candidatar?

As vagas serão disponibilizadas no site da Amazon. A assessoria da Amazon afirmou ainda que contam com agências que apoiam no recrutamento e gerenciamento de alguns funcionários das operações da
Amazon.

Mais Lidas