Igreja Católica

Guardas suíços do Vaticano pedem demissão por causa de vacina obrigatória de covid-19

No Vaticano, Papa Francisco defende a vacinação

Agência Católica de Informações (ACI)
Agência Católica de Informações (ACI)
Publicado em 06/10/2021 às 7:44
Daniel Ibáñez, ACI
FOTO: Daniel Ibáñez, ACI
Leitura:

Três guardas suíços se demitiram por causa da obrigatoriedade de se vacinar contra covid-19 imposta no Vaticano. Três outros guardas estão suspensos até que cumpram a ordem de se vacinar. A Guarda Suíça, encarregada da proteção do papa, exigiu que todos os 135 guardas fossem vacinados.

A exigência vai além da obrigatoriedade de mostrar certificado provando que a pessoa tomou a vacina, ou teve covid-19 e está imunizada, ou tem um teste negativo de coronavírus de menos de 48 horas.

O tenente Urs Breitenmoser, porta-voz da Guarda Suíça, disse ao jornal suíço Tribune de Genève que os guardas saíram voluntariamente. Ele defendeu a exigência da vacina como “uma medida alinhada com as que foram adotadas em outros corporações militares do mundo”.

Desde 1º de outubro, todos os visitantes e trabalhadores que queiram entrar na Cidade do Vaticano e seus territórios têm que mostrar o certificado de vacina.

Decreto

O cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado da Santa Sé, emitiu decreto em 28 de setembro segundo o qual empregados e servidores que não seguirem a regulamentação não terão permissão para entrar em seus lugares de tabalho e devem ser considerados “ausentes sem justificativa”. Os dias ausentes sem justificativa não serão pagos.

O cardeal Giuseppe Bertello, que deixou neste mês o cargo de presidente do Conselho do Estado da Cidade do Vaticano, disse que a regulamentação foi implementada por ordem do papa Francisco, que pediu às autoridades “para tomar tods as medidas apropriadas para prevenir, controlar e combater a emergência de saúde pública corrente no Estado da Cidade do Vaticano”.

Segundo as novas regras, católicos que vão à missa ou confissão na basílica de São Pedro ou outras igrejas do território do Vaticano não precisam apresentar passe de covid-19.

Mais Lidas