RECUPERAÇÃO

Adolescente de 16 anos que teve braço amputado após acidente com ônibus em Olinda recebe alta da UTI

A equipe médica do Hospital da Restauração, no Recife, vai aguardar a evolução do jovem nas próximas 72 horas, a contar da alta da UTI

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 12/10/2021 às 15:10
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

O adolescente, de 16 anos, que teve o braço direito amputado após o ônibus onde ele estava chocar-se contra um poste, no dia 24 de setembro, em Olinda, no Grande Recife, recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva. De acordo com informações do Hospital da Restauração (HR), o jovem foi transferido para enfermaria nesta terça-feira (12). Ele segue em observação na enfermaria do hospital, sem previsão de alta. A equipe médica vai aguardar a sua evolução nas próximas 72 horas, a contar da alta da UTI. Segundo o pai do adolescente, Everton Ferreira, ele vai seguir fazendo hemodiálise devido a um comprometimento dos rins. "Ele já estava fazendo esse tratamento na UTI. Ele vai continuar porque os rins estão trabalhando pouco por conta dos medicamentos", explicou.

O acidente

O adolescente, de 16 anos, precisou ter o braço amputado, após o ônibus onde ele estava chocar-se contra um poste, no dia 24 de setembro, em Olinda, no Grande Recife. O acidente aconteceu na Avenida Olinda, no bairro do Varadouro. De acordo com informações apuradas pela reportagem da TV Jornal, o jovem estava com o braço do lado de fora da janela do veículo no momento da batida. O motorista parou alguns metros depois para socorrer a vítima. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e levou o jovem até o HR. Tanto a Conorte como o Grande Recife lamentaram o ocorrido e informaram que estão acompanhando o caso. O rapaz chegou a passar por cirurgia para reimplante do braço, mas o corpo do jovem não reagiu bem ao procedimento médico e o membro precisou ser retirado. "Não deu certo e os médicos tiveram que fazer uma nova cirurgia", afirmou Everton Ferreira, pai do adolescente.

Recuperação

Ele deu entrada no HR com "amputação traumática de braço", em estado grave. Chegou a passar por uma cirurgia de reimplante do braço, um procedimento de seis horas que envolveu a religação dos ossos, músculos e vasos sanguíneos. Mas o resultado da intervenção não foi satisfatório, pois o organismo não reagiu bem ao reimplante, e o braço precisou ser retirado ainda no sábado (25), dia seguinte ao acidente. Com isso, o adolescente acabou perdendo o membro. Ele intubado após a segunda cirurgia e só teve a ventilação mecânica retirada no dia 4 de outubro.

Mais Lidas