Uma das 7 maravilhas do mundo

VÍDEO: Cristo Redentor 90 anos; faça visita virtual com vídeo em 360º graus no monumento do Rio de Janeiro


o Cristo Redentor é um dos principais pontos turísticos do Brasil

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 12/10/2021 às 7:28
Tomaz Silva/ABr
FOTO: Tomaz Silva/ABr
Leitura:

O Cristo Redentor, no Rio de Janeiro (RJ), completa 90 anos hoje, 12 de outubro. O monumento foi construído com a mobilização dos católicos brasileiros, sobretudo dos cariocas, sob a articulação do então arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Sebastião Leme. Na inauguração da estátua que anos mais tarde se tornaria símbolo do Brasil, o cardeal Leme consagrou o país a Cristo Rei.

Vídeo em 360º graus do Cristo Redentor

História

Embora tenha sido construído entre 1922 e 1931, a história do Cristo Redentor remonta à época do Império. Desde 1859, o padre lazarista francês Pierre-Marie Boss olhava para o Corcovado da janela da Igreja do Colégio da Imaculada Conceição, na Praia de Botafogo, e foi inspirado a construir ali um monumento religioso. Ele deixou seu sonho registrado em um poema no prólogo da edição de 1903 do livro Imitação de Cristo: “Ó Corcovado! Lá se ergue o gigante de pedra alcantilado, altaneiro e triste, como interrogando o horizonte imenso: ‘Quando virá? Há tantos séculos espero. Sim, aqui está o pedestal único no mundo. Quando virá a estátua colossal, imagem de quem me fez?’. Ai, Brasil amado! Acorda depressa, levanta naquele cume sublime a imagem de Jesus Salvador! Nem todos, por causas diversas, lerão o Livro, ao passo que em todas as línguas e linguagens a imagem dirá ao grande e ao pequeno, ao sábio e ao analfabeto…”

Paroquiana do padre Boss, a princesa Isabel sabia desse desejo do sacerdote. Depois assinatura da Lei Áurea, que aboliu a escravidão em 1888, quiseram homenageá-la com uma estátua dela no Corcovado. Ela, porém, preferiu que a imagem fosse do Sagrado Coração de Jesus, “verdadeiro redentor dos homens”. Com a derrubada do Império e a proclamação da República, em 1889, houve a separação entre Igreja e Estado e o projeto não seguiu em frente.

Anos mais tarde, em 1921, com os preparativos para o centenário da independência do Brasil, o Círculo Católico, uma associação que reunia leigos católicos, decidiu dar prosseguimento ao sonho. Um concurso para escolha do projeto apontou o engenheiro Heitor da Silva Costa como vencedor. Seu projeto era de uma imagem de Jesus sobre um pedestal, segurando uma grande cruz com a mão esquerda, e o globo com a mão direita.

O então arcebispo do Rio de Janeiro, dom Sebastião Leme, promoveu uma grande campanha a fim de arrecadar fundos para a construção contando com a colaboração da comunidade católica do país todo. A ideia era que o Cristo Redentor fosse construído apenas com dinheiro proveniente de doações dos brasileiros.

Dom Sebastião Leme também pediu ao engenheiro Heitor da Silva Costa um novo projeto, de maior significado religioso e que pudesse ser visto a grandes distâncias. Ao observar as enormes antenas de radiotelefonia sobre o Corcovado, o engenheiro teve a ideia de construir uma imagem em que o corpo do Cristo formasse uma cruz, com o tronco ereto e os braços abertos.

Uma das solicitações feitas por Dom Sebastião Leme ao engenheiro foi que o Sagrado Coração de Jesus fosse colocado. Assim, um discreto coração foi moldado no peito do Cristo, única parte interna revestida de pedra-sabão.

Feito de concreto armado e revestido de pedra-sabão, o Cristo Redentor tem 30 metros de altura e fica sobre um pedestal de oito metros. Os braços da imagem se estendem por 28 metros de largura. O projeto foi concebido com a colaboração do escultor francês Paul Landowski e do engenheiro francês Albert Caquot. As peças da cabeça e das mãos do Cristo foram moldadas, em tamanho real, em Paris, na França. Vieram para o Brasil em dezenas de partes enumeradas: 50 da cabeça e oito das mãos, para que a montagem fosse feita no local.

O monumento do Cristo Redentor foi inaugurado no dia 12 de outubro de 1931, dia que atualmente é celebrada Nossa Senhora Aparecida. Naquela época, porém, a padroeira do Brasil não era celebrada nesta data. O 12 de outubro foi estabelecido como dia de Nossa Senhora Aparecida apenas em 1953 durante Assembleia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Anteriormente, a festa da padroeira foi celebrada em diferentes datas, como 8 de dezembro, solenidade da Imaculada Conceição; quinto domingo após a Páscoa; primeiro domingo de maio, o mês de Maria; e 7 de setembro, Dia da Pátria.

 

Na cerimônia de inauguração do Cristo Redentor, dom Sebastião Leme fez a consagração do Brasil a Cristo Rei, com uma oração composta por madre Maria José de Jesus, priora do Convento de Santa Teresa (a oração de consagração pode ser lida no final desta matéria). O arcebispo abençoou o monumento com as palavras: “Cristo vence! Cristo reina! Cristo impera! Cristo proteja de todo mal o seu Brasil!”.

Em 2006, no 75° aniversário de inauguração, cardeal Eusébio Oscar Scheidt, arcebispo do Rio de Janeiro, criou o Santuário Arquidiocesano do Cristo Redentor do Corcovado. No ano seguinte, o Cristo Redentor foi eleito uma das sete maravilhas do mundo moderno, em votação por internet e telefone promovida por iniciativa da New 7 Wonders Foundation, criada em 2001, pelo antigo produtor suíço Bernard Weber. As outras seis maravilhas modernas são: a Grande Muralha da China, as ruínas de Petra, na Jordânia, a cidade de Machu Picchu, no Peru, a pirâmide de Chichén Itzá, no México, o Coliseu Romano, na Itália, e o Taj Mahal, na Índia.

Ao celebrar os 90 anos do Cristo Redentor, o atual arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani João Tempesta, afirmou que esta “é uma oportunidade para todos nós agradecermos aos nossos antepassados que fizeram o monumento e a todos que contribuíram”. “Somos todos chamados a agradecer por esses 90 anos e a olhar para frente e pedirmos ao Senhor que continuemos buscando a comunhão, a unidade, deixando Cristo reinar no coração de cada um de nós”, disse.

Segundo dom Orani, “o monumento do Cristo Redentor é um ícone do Brasil”. “Ao completar 90 anos, os braços abertos simbolizam o acolhimento do Brasil a todos os povos e pessoas. E, ao mesmo tempo, colocar no alto do monte o Cristo Jesus recorda nossas raízes cristãs”, afirmou.

A seguir, confira a oração rezada por dom Sebastião Leme na inauguração do Cristo Redentor:

“Senhor Jesus, Redentor nosso, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, que sois para o mundo a única fonte de luz, de paz, de progresso e de felicidade.

Ó Salvador, que nos remistes com o sacrifício da vossa vida, eis aos vossos pés, representando o Brasil, a Terra de Santa Cruz, que se consagra solenemente a vosso Coração Sacratíssimo e vos reconhece, para sempre, por seu único Rei e Senhor.

Vós, que esculpistes no céu brasileiro a vossa cruz, de onde jamais poderá ser apagada, aceitai e abençoai esta imagem, que será entre nós o símbolo da nossa fé que reina em nosso espírito, de vosso amor que reina em nossos corações.

Oh! Reinai, Senhor Jesus, reinai sobre a nossa pátria! Queremos que o Brasil viva e prospere sob vossos olhares; queremos que o nosso povo seja sempre iluminado pela verdade do vosso Evangelho.

Reinai, ó Cristo-Rei; reinai ó Cristo Redentor! Ser brasileiro seja crer em Jesus Cristo, amar a Jesus Cristo!

E esta sagrada imagem seja o símbolo do vosso domínio, do vosso amparo, da vossa predileção, da vossa bênção, que paire sobre o Brasil e sobre os brasileiros, como penhor de que – tendo sido vossos na terra – vossos serão eternamente no céu. Amém”.


Mais Lidas