ELEIÇÕES

Datena anuncia ao vivo que vai sair da Band para disputar Presidência da República em 2022

José Luiz Datena é filiado ao PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 13/10/2021 às 18:25
Reprodução / Band
FOTO: Reprodução / Band
Leitura:

O apresentador e jornalista José Luiz Datena declarou ao vivo que irá deixar a Rede Bandeirantes, onde comanda o programa policial Brasil Urgente, para disputar a Presidência da República. Há algum tempo a candidatura de Datena vem sendo cogitada.

O apresentador já havia utilizado o espaço anteriormente para falar da própria futura carreira política. No mês passado, Datena afirmou ao vivo que seria candidato pelo partido ao qual é filiado.

>> Se persistir, José Luiz Datena pode ser o fato novo da eleição de 2022. Ele empata com Ciro Gomes

>> Após ser hostilizado em manifestação, Ciro Gomes se encontra com Datena

Datena disse que seu único interesse na política é ser um “bom brasileiro". “Platão, que foi um sábio, dizia: se você não entrar na política e não for um bom cidadão, com boa intenção - e meu único interesse em entrar na política é público, de ser um bom brasileiro - enquanto você não entrar na política, o mau político continuará lá e ele vai ocupar o lugar do bom político”, afirmou o pré-candidato.

Datena no PSL

Em julho deste ano, Datena se filiou ao PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro, já como pré-candidato. No entanto, o PSL e o Democratas estão em processo de fusão para a criação do partido União Brasil. O processo pode atrapalhar os planos políticos do apresentador.

Pesquisa

Em dados do Levantamento Paraná Pesquisa sobre a situação eleitoral presidencial para 2022, Datena aparece com 7% das intenções de voto para presidente, firmando-se na liderança da "terceira via". O jornalista está só um
pouco à frente de Ciro (7% a 6,8%), tem quase o dobro de Doria (3,9%) e põe Mandetta (1,8%) na zona de rebaixamento.

Na pesquisa, a liderança das intenções de voto é disputada, em empate técnico pelo presidente Jair Bolsonaro (32,7%) e o ex-presidente petista Lula (33,7%).

Mais Lidas