IMUNIZAÇÃO

Ministro da Saúde garante que acabará com a pandemia no Brasil até dezembro

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ainda afirmou que está satisfeito com ritmo da vacinação no país

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 15/10/2021 às 17:50
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante coletiva, após reunião do Comitê de Coordenação Nacional de Enfrentamento da Pandemia de Covid-19 - FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante coletiva, após reunião do Comitê de Coordenação Nacional de Enfrentamento da Pandemia de Covid-19 - FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Leitura:

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que até dezembro o Brasil estará livre do "caráter pandêmico" da covid-19 e reafirmou que 100% da população estará vacinada. No entanto, isso não significa dizer que ninguém mais terá a doença no pais, mas que os números não configurariam mais uma pandemia. As informações foram dadas durante entrevista ao SBT News.

"Nós temos a maior campanha de imunização do país, justamente contra a Covid-19 e, com isso, vamos com certeza por fim ao caráter pandêmico da covid em nosso país", disse.

>> Ministro da Saúde diz que partiu de Bolsonaro orientação para rever vacinação de adolescentes

>> Marcelo Queiroga, nega que tenha pedido ao presidente para deixar o cargo

100 milhões de brasileiros totalmente imunizados

O Brasil atingiu, nesta semana, a marca de 100 milhões de pessoas totalmente imunizadas, o que representa 47,11% da população com o esquema vacinal concluído. "O Brasil tem um programa nacional de imunização consolidado e essa marca de cem milhões de brasileiros vacinados com duas doses é a prova da nossa capacidade de vacinar a população. O Brasil está pontuando dentre os países que mais vacinam a sua população e, por isso, hoje vivemos um momento epidemiológico muito mais tranquilo. Nosso sistema de saúde tem capacidade de assistência e nós temos uma perspectiva de reabertura gradual e sustentada das atividades econômicas", comemorou.

Após diversos entraves no processo de imunização contra a covid-19 no país, a vacinação começou a ganhar força em junho. O ministro diz estar satisfeito com o ritmo. "Claro que estou satisfeito com o ritmo de imunização. Mas é necessário continuar trabalhando para esclarecer a população, sobretudo aqueles que precisam tomar a segunda dose da vacina", ressaltou.

Mais Lidas