SAÚDE

Dia Mundial da Osteoporose: quais os sintomas? O que causa? Tire dúvidas sobre a doença

O Dia Mundial da Osteoporose tem o objetivo de conscientizar sobre a prevenção, diagnóstico e tratamento da doença

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 20/10/2021 às 13:38
Reprodução/Internet
FOTO: Reprodução/Internet
Leitura:

O Dia Mundial da Osteoporose é lembrado nesta quarta-feira (20). A data tem como objetivo a conscientização sobre prevenção, diagnóstico e tratamento da doença. Segundo dados do Ministério da Saúde, cerca de 10 milhões de pessoas convivem com a osteoporose no Brasil e apenas 20% sabem ter a doença, que provoca 200 mil mortes por ano no país.

O que é e quais são os sintomas da osteoporose?

A osteoporose é uma doença que se caracteriza pela perda progressiva de massa óssea, tornando os ossos enfraquecidos e predispostos a fraturas. Os principais tipos de osteoporose são: pós–menopausa, senil (mais frequente em pessoas acima de 70 anos) e secundária, decorrente de outras doenças, como doença renal crônica, ou do uso de medicamentos, como corticoides.

Os especialistas alertam que a osteoporose é uma doença silenciosa, pois raramente apresenta sintomas antes de sua consequência mais grave: as fraturas.

Pessoas diagnosticadas com o problema têm os ossos frágeis e quebradiços, podendo sofrer facilmente fraturas com uma queda, uma pancada, até mesmo com um espirro ou um movimento brusco. Essas fraturas podem colocar a pessoa em risco de vida e serem a causa principal de dores e deficiências, com impedimentos de longo prazo.

O que causa a osteoporose?

Embora a perda óssea possa ser acelerada por algumas condições fora do seu controle (como por exemplo a história familiar), essa doença silenciosa e as fraturas provocadas por ela podem ser prevenidas se algumas atitudes forem tomadas a tempo.

Uma primeira medida, independe da idade ou do estado dos ossos: é ter um estilo de vida saudável para os ossos. Isso significa fazer regularmente exercícios com pesos e de fortalecimento dos músculos, ter uma dieta nutritiva rica em cálcio, proteínas, vitamina D e outros nutrientes importantes, evitando hábitos nocivos para a saúde, como fumar ou consumir bebidas alcoólicas em excesso.

Entretanto, para as pessoas que correm risco de fraturas, apenas um estilo de vida saudável para os ossos pode ser insuficiente para preveni-las. Se estiver nesse grupo de alto risco, é possível ter que tomar medicamentos para prevenir fraturas no futuro.

Fatores de risco não modificáveis:

  • Em geral, o risco de ter osteoporose é influenciado pela idade, pelo gênero e pela origem étnica. Normalmente, quanto mais idoso, maior é o risco.
  • As mulheres são mais suscetíveis à perda óssea do que os homens, entretanto, eles também podem sofrer de osteoporose. Cerca de 20-25 % de todas as fraturas de quadril ocorrem em homens mais velhos e eles têm maior probabilidade de ficar com uma deficiência e de morrer após uma fratura de quadril.
  • A osteoporose também é mais comum em pessoas de origem europeia ou asiática, provavelmente por causa das diferenças na estrutura óssea e no pico de massa óssea.
  • Alguns medicamentos podem ter efeitos colaterais que, diretamente, enfraquecem os ossos ou aumentam o risco de fraturas provocadas por quedas. É importante conversar sempre com o médico sobre os riscos à saúde óssea ao receber uma prescrição.
  • Algumas doenças, assim como os medicamentos utilizados para tratá-las, podem enfraquecer os ossos e aumentar o risco de fraturas. As mais comuns são: artrite reumatoide, problemas nutricionais/gastrointestinais (Doença de Crohn etc.), doença renal crônica, HIV, doenças hematológicas/tumores malignos (inclusive câncer de próstata e de mama), algumas doenças hereditárias, distúrbios hipogonadais (Síndrome de Turner/Síndrome de Klinefelter, amenorreia, etc.), doenças endócrinas (diabetes, síndrome de Cushing, hiperparatiroidismo, etc.), imobilidade.
  • Mulheres no período pós menopausa e aquelas que retiraram os ovários ou que tiveram menopausa precoce, antes dos 45 anos, devem prestar maior atenção à sua saúde óssea.

Prevenção

Algumas dicas podem ajudar na prevenção ou no controle da osteoporose:

  • a ingestão de cálcio é fundamental para o fortalecimento dos ossos. Adote uma dieta rica em alimentos com cálcio (leite e derivados, como iogurtes e queijos). Os médicos indicam dois copos de leite desnatado e uma fatia de queijo branco por dia;
  • consuma verduras de folhas escuras, como brócolis, espinafre e couve;
  • evite carne vermelha, refrigerante, café e sal;
  • exponha-se ao sol de forma moderada. Os raios ultravioletas sobre a pele estimulam a produção de vitamina D, fundamental para a absorção do cálcio pelo organismo. Basta de 20 a 30 minutos de sol por dia, entre 6h e 11h;
  • não fume e evite o consumo excessivo de álcool;
  • independente da idade inicie um programa de exercícios (pode ser caminhada ou musculação, por exemplo). Entre outras vantagens, ajuda a fortalecer os músculos, melhorar o equilíbrio e os reflexos, evitando as quedas;
  • mulheres que entraram na menopausa devem consultar um médico para começar um tratamento especial. A partir de 45 anos, devem ser submetidas a um teste de densitometria óssea;
  • obstáculos como móveis, tapetes soltos e pouca iluminação, podem facilitar quedas e, consequentemente, provocar fraturas em pessoas com osteoporose.

Saiba como deixar a casa mais segura para evitar quedas:

  • na cama, é importante que a pessoa sentada consiga apoiar os pés no chão, evitando assim, a hipotensão postural (tonturas);
  • a mesa de cabeceira deve ser 10 cm mais alta do que a cama e com bordas arredondadas. Se possível, fixe-a no chão ou na parede, evitando que se desloque caso a pessoa precise apoiar-se nela;
  • sempre que possível, instale os interruptores de luz próximos à cama, ou adote um abajur;
  • prefira pisos antiderrapantes para áreas molhadas (como box e corredores);
  • evite tapetes soltos e prefira os de borracha e antiderrapantes;
  • o corrimão das escadas deve ter altura média de 80 cm e os degraus das escadas devem ser marcados com fitas antiderrapantes.

Mais Lidas