POLÍTICA

Bolsonarista Zé Trovão se entrega à polícia após mais de um mês foragido

Ministro do STF havia expedido pedido de prisão preventiva contra Zé Trovão no começo de setembro

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 26/10/2021 às 14:34
Reprodução/ Internet
FOTO: Reprodução/ Internet
Leitura:

Após mais de um mês foragido, o caminhoneiro bolsonarista Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, se entregou à Polícia Federal, em Joinville, em Santa Catarina, nesta terça-feira (26).

No começo de setembro, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, expediu um pedido de prisão preventiva contra o bolsonarista após Zé Trovão mobilizar caminhoneiros e manifestantes a participar dos atos antidemocráticos, inclusive com pedido de fechamento do STF, no dia 7 de Setembro.

Zé Trovão havia fugido para o México e sua defesa tentou vários habeas corpus, mas o plenário do STF negou o último pedido por unanimidade no dia 18 de outubro, deixando o militante bolsonarista sem opções.

Segundo o UOL, os advogados do caminhoneiro confirmaram a informação. "Apresentação espontânea de Zé Trovão. Na qualidade de advogados do Sr. Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, informamos que na data de hoje promovemos sua apresentação espontânea ao Excelentíssimo Senhor Doutor Delegado Chefe da Polícia Federal em Joinville - Santa Catarina, cidade de seu domicílio."

Os advogados de Zé Trovão, Elias Mattar Assad e Thaise Mattar Assad, informaram que o bolsonarista "está ao dispor da Justiça para provar sua inocência. Na sequência, a defesa formulará pleitos de liberdade".

Vídeo

Em vídeo, o bolsonarista Zé Trovão confirmou que se entregou. “Nesse 26 de outubro, eu me entreguei à Justiça brasileira, me apresentei à Justiça brasileira, porque, como diz o nosso hino, verás que um filho teu não foge à luta. E eu jamais iria abandonar o povo brasileiro”, diz ele na gravação.

O caminhoneiro disse que saiu do Brasil para poder lutar por uma nação justa. “Aos quase 20 mil inscritos aqui no meu canal, eu vim dizer muito obrigado, não sei quanto tempo eu vou passar no cárcere, mas saibam que tudo isso é pelo Brasil, por cada ser humano cidadão de bem (...) Fiquem com Deus e não desanimem”, completou o militante.

Veja:

Mais Lidas