HISTÓRIA

Onde se passa O Clone? Autor teve receio de lançar novela após ataque do 11 de setembro; entenda

A novela O Clone está sendo reprisada 20 anos após sua estreia na televisão

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 27/10/2021 às 16:07
Divulgação/ TV Globo
FOTO: Divulgação/ TV Globo
Leitura:

Sucesso da teledramaturgia brasileira, O Clone continua despertando curiosidade. A trama aborda temas como clonagem, dependência química e cultura árabe. No ar mais uma vez no Vale a pena ver de novo, a novela foi exibida pela primeira vez entre os anos de 2001/2002.

O Clone começa na década de 1980, quando Lucas (Murilo Benício) conhece Jade (Giovanna Antonelli), no Marrocos. Filha de muçulmanos nascida e criada no Brasil, Jade foi viver com o tio Ali (Stênio Garcia) após a morte da mãe, Sálua (Walderez de Barros).

Os dois jovens se apaixonam à primeira vista, mas são impedidos de ficar juntos por causa dos costumes mulçumanos, defendidos com rigor pelo tio de Jade. Sid Ali se agarra às crenças e à cultura árabe para arranjar bons casamentos para a sobrinha.

No Brasil, a trama também se desenvolve no Rio de Janeiro.

>> Reprise O Clone: veja os atores da novela que já morreram

>> Relembre bordões famosos de O Clone como 'inshalá' e 'né brinquedo não'

11 de setembro

Abordar o tema da cultura mulçumana e árabe preocupou o diretor da novela, Jayme Monjardim, semanas antes da estreia da trama. O motivo é que no dia 11 de setembro de 2001, o mundo parou após um atentado terrorista nos Estados Unidos atingir as Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova Iorque, e matar milhares de pessoas. O ataque foi praticado por um grupo fundamentalista, composto principalmente por muçulmanos e árabes.

Em entrevista ao portal GShow, da Globo, Jayme Monjardin lembrou que o fato mexeu com todos que faziam parte da novela. Além do impacto da tragédia, surgiu uma preocupação sobre como seria a receptividade do público. "Quando teve o atentado, a novela estrearia umas três semanas depois. Houve todo um cuidado, toda uma preparação. Botamos em dúvida, em algum momento, de como seria lançar a novela. Mas a gente percebeu o quanto era importante ver as pessoas tendo uma imagem correta do mundo muçulmano, e não apenas dessa atrocidade que foi o ataque às Torres Gêmeas", lembrou Jayme Monjardin.

A novela não só foi um sucesso de audiência, como rendeu premiações. Em 2003, O Clone conquistou três categorias do Prêmio Inte (Indústria de la Televisión em Español), considerado um dos mais importantes do mercado latino – Melhor Novela, Melhor Autora e Melhor Atriz (Giovanna Antonelli).

Mais Lidas