Audiência

Vídeo: 'serial killer de homossexuais' confessa crimes, diz como atraía vítimas e motivo de deixar uma viver

Em audiência online, José Tiago Soroka confessou os crimes e detalhou como atraía vítimas. Criminoso foi preso em junho após, pelo menos, três assassinatos

Com informações do SBT
Com informações do SBT
Publicado em 02/11/2021 às 11:42
Reprodução/Vídeo
FOTO: Reprodução/Vídeo
Leitura:

Depois de ser preso, em junho deste ano, em Curitiba, no Paraná, o homem conhecido como 'serial killer de homossexuais', José Tiago Soroka, de 32 anos, confessou e detalhou os crimes que cometeu, na última audiência de instrução do caso, de forma remota.

>> O que é serial killer? Entenda a expressão, que voltou à tona após caso em Brasília

>> Maníaco do Parque, Jack - o estripador, Ted Bundy e o homem que matou 90 pessoas: conheça os serial killers mais famosos do mundo

>> Serial killer de Brasília: Veja quem é o caçador que se juntou à polícia para procurar por Lázaro Barbosa, neste 14º dia de buscas

A audiência

Os assassinatos foram cometidos no primeiro semestre, em Santa Catarina e Paraná. As vítimas, todas homossexuais, eram asfixiadas. Soroka falou por uma hora, detalhando a estratégia que usava para se aproximar das vítimas.

Participaram da audiência a juíza, os advogados de defesa e a promotoria. Soroka afirmou que conheceu Robson Paim, em Santa Catarina, por meio de aplicativo de relacionamentos. Após uma semana de conversa, se encontraram. Ao descrever como assassinou a vítima, o assassino em série demonstrou frieza.

"Eu apliquei um mata-leão nele, ele apagou, mas acordou bem rápido e veio para cima de mim. Eu não lembro o que tinha na cama dele, uma cinta ou coisa do tipo, e enrolei no pescoço dele e acabei asfixiando, e ele acabou não voltando mais", afirmou o acusado.

Depois, confessou que roubou o carro e itens pessoais de Robson, por "desespero", indo para Curitiba. O assassino confessou os outros crimes e afirmou que se aproximava das vítimas apenas por interesse sexual.

Em determinado momento do depoimento, o acusado explicou por que poupou uma das vítimas. "Algo na hora disse que não era para matar ele", disse Soroka.

Quando perguntado se o próprio acusado se considerava uma pessoa perigosa para a sociedade, Soroka afirmou que "na situação em que me encontro, para sociedade, sim. Para todos fora desse muro, sim, talvez até aqui dentro", respondeu.

José Tiago Soroka fez, pelo menos, três vítimas: além do crime em Santa Catarina, outros dois homens foram mortos, no Paraná.

Serial killer

A expressão geralmente é utilizada quando alguém é suspeito de cometer assassinatos em série. Ela pode tanto ser uma classificação oficial feita pela polícia, como ser apenas uma expressão de uso comum para tratar criminosos desse tipo.

Serial killer é uma expressão em inglês que indica um “assassino em série”. Isto é, um assassino que, por vários motivos possíveis, assassina várias pessoas de forma sequenciada, com um intervalo de tempo que pode ser de horas, dias ou até anos entre um crime e outro, mas sempre cometendo o crime com uma determinada frequência.

Mais Lidas