Igreja Católica

Padre suspeito de abuso sexual contra adolescente é encontrado morto dentro de casa


Padre José Alves de Carvalho era investigado, após tio de menina de 14 anos ouvir conversa entre a sobrinha e o religioso com teor sexual

Agência Católica de Informações (ACI)
Agência Católica de Informações (ACI)
Publicado em 09/11/2021 às 8:18
Reprodução/Redes Sociais
FOTO: Reprodução/Redes Sociais
Leitura:

O padre José Alves de Carvalho foi encontrado morto na casa paroquial onde residia, em Bom Jesus (PI), na noite de domingo, 7 de novembro. Não há informação sobre a causa da morte. O sacerdote era acusado de cometer abuso sexual contra uma adolescente de 14 anos. No sábado, 6, o bispo de Bom Jesus do Gurguéia, dom Marcos Antonio Tavoni, havia publicado decreto suspendendo o uso de ordens do padre.

O sacerdote de 43 anos era pároco da Paróquia de São Pedro Apóstolo, em Bom Jesus. Ele foi encontrado morto por volta das 21h. A Polícia Militar (PM) foi acionada e, ao chegar ao local, constatou que o padre já estava morto. A causa da morte está sendo investigada.

O velório e sepultamento do sacerdote aconteceram em sua cidade natal, Monte Alegre do Piauí (PI), nesta segunda-feira, 8 de novembro.

“A diocese de Bom Jesus, entristecida pela perda de um de seus amados filhos, se solidariza, com os familiares, amigos e paroquianos de São Pedro Apóstolo, em Bom Jesus-PI, por tão grande perda e pede a todos orações”, diz nota da diocese piauiense.

No sábado, o bispo de Bom Jesus de Gurguéia, dom Tavoni, havia publicado um decreto de suspensão do uso de ordens de padre José Alves de Carvalho por tempo indeterminado devido a acusações de abuso sexual contra uma adolescente. Também afirmou que havia sido instaurado um processo canônico para investigar a denúncia e a nunciatura apostólica seria comunicada oficialmente, “para o acompanhamento do caso e para encaminhamento dos desfechos”.

Segundo a imprensa local, a Polícia Civil de Bom Jesus tinha aberto um inquérito para investigar o caso. Um familiar da adolescente teria ouvido conversas de cunho sexual entre a menor e o padre e feito a denúncia.

A diocese de Bom Jesus de Gurguéia disse no sábado que o sacerdote ainda não tinha sido notificado pela justiça e que, por isso, não tinha “conhecimento oficial das acusações que, no momento, pesam sobre ele e que são divulgadas pela imprensa”. “Portanto, responderá no momento certo à Justiça, dando satisfação à sociedade”, afirmou.

Bispo lamenta

Além disso, afirmou a diocese, dom Tavoni “lamentou muitíssimo a repercussão dos fatos e manifesta toda sua solidariedade com o sofrimento dos envolvidos” no suposto abuso. “Sinto e sofro, com a família envolvida, a dor de todos, principalmente, dos pais; pois como bispo, cada padre é para mim como verdadeiro filho e nenhum pai quer que o filho se perca”, disse o bispo.


Mais Lidas