INJÚRIA RACIAL

Vereadora negra é chamada de 'preta lixo' durante sessão na Câmara; vídeo registrou ataque racista

Vereadora Paolla Miguel discursava quando sofreu o ataque racista

Com informações da Câmara de Municipal de Campinas
Com informações da Câmara de Municipal de Campinas
Publicado em 09/11/2021 às 16:00
Reprodução/ Facebook
FOTO: Reprodução/ Facebook
Leitura:

Uma vereadora de Campinas, em São Paulo, foi alvo de insultos racistas enquanto discursava durante sessão na Câmara de Vereadores da cidade, nesta segunda-feira (8). Paolla Miguel (PT) falava sobre a importância do Conselho de Desenvolvimento e Participação da Comunidade Negra, quando foi chamada de "preta lixo".

>> STF decide que injúria racial é crime imprescritível

>> Entenda a diferença entre racismo e injúria racial

“O grupo que estava aqui é de apoiadores de um determinado político e toda vez que alguém da esquerda subia já começavam ofensas. Mas a partir do momento que comecei a falar da importância de termos um Conselho da Comunidade Negra, e que inclusive tivemos um aumento de casos de intolerância religiosa, comecei a ouvir ataques. Primeiro dizendo que aquilo era mimimi, depois as ofensas foram ficando mais agressivas até a gente ouvir ‘preta lixo’, ofensa que pode inclusive ser conferida na gravação da TV Câmara”, contou Paolla.

O ataque partiu de um grupo de manifestantes que estava presente desde o início da sessão protestado contra o chamado passaporte da vacina, conforme mostram fotos feitas pela Câmara de Vereadores de Campinas

Ataque racista partiu de um grupo de manifestantes que estava presente desde o início da sessão protestado contra o chamado passaporte da vacina
Ataque racista partiu de um grupo de manifestantes que estava presente desde o início da sessão protestado contra o chamado passaporte da vacina
Reprodução/ Diretoria de Comunicação Institucional da CMC

Câmara registrou ataque

A sessão, que era gravada, registrou o momento em que a vereadora Paolla Miguel sofreu o ataque. Veja:

Repercussão na Câmara

As ofensas causaram grande indignação entre todos os vereadores da Casa, que já tentaram identificar o autor enquanto Paolla tentava terminar o discurso.

O vereador Zé Carlos, presidente da Câmara, determinou que sejam analisados todos os vídeos – tanto de segurança quanto da TV - e áudios da sessão na tentativa de identificar responsável ou responsáveis pela injúria racial.

“Todo mundo ouviu o que aconteceu, que saiu do meio de um grupo de manifestantes. Uma manifestação é saudável em uma democracia, mas vir com ofensa em cima de vereador não será tolerado, muito menos uma injúria racial, Vamos apurar acontecimentos e tomar providências cabíveis. Esse pessoal inclusive poderá ser proibido de entrar no plenário: aqui é um ambiente de trabalho, com vereadores eleitos pela população e tem que se manter o respeito. A diversidade de pensamentos é apreciada, mas não podemos tolerar a presença de alguns que não se portam como seres humanos”, protesta Zé Carlos.

A parlamentar registrou, nesta terça-feira (9), um Boletim de Ocorrência relatando o crime. A injúria racial ocorre quando se ofende alguém com base em sua raça, cor, etnia, religião, idade ou deficiência, e é crime previsto no parágrafo 3º do artigo 140 do código penal.

Mais Lidas