Caso Emelly

Caso Emelly: Homem acusado de matar dentista esganada em Paulista vai a julgamento

A jovem foi morta em 22 de fevereiro, o principal acusado é o ex-marido

Caterine Costa de Oliveira
Caterine Costa de Oliveira
Publicado em 19/11/2021 às 14:20
Cortesia
FOTO: Cortesia
Leitura:

Ocorre nesta sexta-feira (19), no Fórum de Paulista, Região Metropolitana do Recife, a primeira audiência de instrução e julgamento da morte da dentista Emelly Nayane, assassinada em 22 de fevereiro deste ano. O réu, é o ex-marido da vítima, que, de acordo com laudo do Instituto Médico Legal, o suspeito teria matado a vítima por estrangulamento.

Antes do início da sessão, amigos de Emelly Nayane e alguns parentes se reuniram em frente ao Fórum para protestar. Vestidos com camisas estampadas com a foto da dentista , com faixas e cartazes o grupo pedia justiça para o caso.

>>Polícia Civil conclui inquérito que investigava morte de dentista em Paulista; Ex-marido é indiciado por feminicídio

>>Em carta, família pede que ex-companheiro de dentista morta ajude a polícia

Emocionada, Roseane Bento , tia da vítima, relembrou dos últimos momentos em família e disse que ainda não consegue acreditar na morte da sobrinha. "Ela ligou para mim nessa pandemia: tia sonhei com a senhora, a senhora estava chorando. Pra mim ela fez uma viagem, eu não acredito que ela morreu. Todos da família amava, tão prestativa e acontecer isso, não tem como aceitar", relata.

Julgamento

Durante todo dia serão ouvidas as testemunhas convocadas para a primeira audiência de instrução. O pai e a mãe de Emelly acompanham a sessão de forma remota junto com o advogado da família. E o acusado será ouvido remotamente direto do Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), onde está preso.

>>Caso Dentista: Ex-marido suspeito do crime é preso; Família da vítima diz estar aliviada

Tia fala sobre o réu

Em entrevista a TV Jornal, a tia da vítima, Vânia Ribeiro, desabafa: "Lívio, como você está conseguindo sobreviver sabendo da sua total e verdadeira culpa. Porque é absurdo homens como você continuarem e dizerem que ama", desabafou.

Relacionamento conturbado

Familiares da vítima relataram que o casal viveu um relacionamento conturbado durante três anos e que Emelly estava separado a cerca de um mês quando foi morta pelo ex marido. Conceição leite falou sobre a relação da sobrinha com o comerciante e das condições que ela vivia com ele.

"A gente viu a situação que se encontrava: o corpo com vários hematomas. Já era a segunda vez que ela tentava sair desse relacionamento e ela tinha dito que queria viver tranquila e em paz com o pai do meu filho. Ele no canto dele e eu no meu canto vivendo a minha vida. Mas ele não permitiu isso", contou.

Relembre o caso

Emelly Nayane da Silva Ribeiro foi morta no dia 22 de fevereiro deste ano. Segundo a família ela foi levada pelo ex sogro para um hospital particular em Paulista desacordada e com marcas de agressão no pescoço. O ex-marido da vítima foi preso em casa por mandado de prisão preventiva pelo crime de feminicídio cinco dias depois do crime.

Mais Lidas