AGLOMERAÇÃO

Ladeiras de Olinda são palco de Carnaval fora de época em meio à alta de casos da covid-19


Mais de 300 pessoas se aglomeraram, nesse domingo (30), e só dispersaram após ação da Polícia Militar

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 31/01/2022 às 8:17
REPRODUÇÃO
Multidão aglomera nas ruas de Olinda, em desrespeito às normas sanitárias no combate à pandemia de covid-19 - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

As ladeiras de Olinda foram palco de aglomeração e desrespeito às normas sanitárias de combate à pandemia de covid-19 nesse domingo (30). Em meio à alta de casos da doença, cerca de 300 pessoas realizaram um verdadeiro Carnaval fora de época. A "comemoração" foi gravada e o vídeo circulou nas redes sociais 

As imagens foram filmadas pro volta das 19h, na esquina da Rua do Amparo com a Rua Pudente de Morais, nos Quatro Cantos, em Olinda - próximo a ladeira da Misericórdia.

.

O grupo só foi embora após a Polícia Militar ser acionada e comparecer ao local e dispersar as pessoas que insistiam em aglomerar. Não há, até o momento, registro de pessoas detidas.

CARNAVAL CANCELADO

Um dos principais polos carnavalescos de Pernambuco, Olinda teve o seu Carnaval cancelado. O prefeito da cidade, professor Lupércio (SD), decidiu não realizar a festa em 2022 por conta do avanço da covid-19. Assim como no ano passado, a prefeitura promete o pagamento de um auxílio em função da não realização da festa pública. O sábado de Zé Pereira, este ano, cai no dia 26 de fevereiro.

Com o cancelamento do Carnaval, a prefeitura de Olinda promete pagar um auxílio a ambulantes, entidades, grupos e artistas que representam a cultura popular. A gestão também anunciou a destinação de investimentos para incentivar a realização de eventos culturais na cidade, indo desde festivais a editais para projetos culturais na cidade. O aporte inicialmente deve girar em torno dos R$ 3 milhões.

A decisão da prefeitura não abrange as festas privadas, que, segundo o prefeito, estarão sob a decisão do governo do Estado.

ATUALIZAÇÃO

O governo de Pernambuco anunciou na última segunda-feira (7) medidas restritivas que limitam a realização da maior parte das festas carnavalescas. É que, de acordo com a determinação, eventos festivos em locais abertos podem ter no máximo 500 pessoas. Antes, a autorização era de, no máximo, 3.000 pessoas. Eventos em locais fechados só podem ter até 300 participantes. Além disso, o governo estadual também cancelou o ponto facultativo durante os dias de carnaval. Leia a nota na íntegra:

"O Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 definiu nesta segunda-feira (7/02) que o limite de pessoas em eventos em Pernambuco será reduzido de três mil para 500 pessoas, em locais abertos e de mil para 300, em locais fechados. A determinação foi motivada pela aceleração do número de casos de coronavírus e da demanda por leitos. As medidas valem a partir da próxima quarta-feira (09/02) e vão até o dia 1° de março.

“Sabemos de todas as repercussões econômicas, sociais e culturais em torno dessa decisão, mas não há condições sanitárias para que seja realizada qualquer tipo de festividade no período de carnaval em Pernambuco. Além disso, reduzimos a capacidade dos eventos de 3 mil para 500 pessoas e não descartamos tomar outras medidas restritivas se o número de casos continuar em crescimento acelerado”, afirmou o governador Paulo Câmara.

Nos eventos acima de 300 pessoas será exigida a apresentação de teste negativo de Covid, além do passaporte vacinal. Para eventos corporativos, não-festivos, o limite será de até 1.500 participantes.

A variante Ômicron da Covid-19 continua em franca aceleração em Pernambuco, impactando no aumento de positividade e, consequentemente, hospitalizações e óbitos, principalmente em não vacinados.

Atualmente, 919 pacientes estão internados com quadros respiratórios graves nos leitos de UTI na rede pública – mesmo patamar de julho do ano passado. Além disso, a média móvel de confirmações diárias de novos óbitos no Estado chegou a 13,2 nesta segunda-feira (07/02) – um aumento de 128% na comparação com a de 14 dias atrás.

“Este cenário de aceleração exponencial da variante Ômicron impõe a adoção de novas medidas restritivas dentro do nosso Plano de Convivência. Por determinação do Governador Paulo Câmara, vamos continuar trabalhando para minimizar os impactos da doença, com a contratação de profissionais de saúde e a abertura de novos leitos. Mas só os esforços do Governo do Estado não serão suficientes para diminuir a circulação viral e superar o vírus. Precisamos, então, do engajamento da sociedade, com o respeito aos protocolos, o reforço nos cuidados e, principalmente, com a vacinação”, destaca o secretário estadual de saúde, André Longo."

Reprodução de internet
Multidão aglomera nas ruas de Olinda, em desrespeito às normas sanitárias no combate à pandemia do novo coronavírus - FOTO:Reprodução de internet

Mais Lidas