PARALISAÇÃO

Greve da Polícia Civil: sindicato decreta greve em Pernambuco nesta segunda-feira (14)


A informação foi confirmada pelo presidente do Sinpol, Rafael Cavalcanti

Gustavo Henrique Marcelo Aprígio
Gustavo Henrique
Marcelo Aprígio
Publicado em 14/02/2022 às 19:31
Divulgação/Sinpol
Movimento foi anunciado durante protesto em frente ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual - FOTO: Divulgação/Sinpol
Leitura:

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) decretou greve da categoria nesta segunda-feira (14) durante protesto em frente ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual. 

A informação foi confirmada pelo presidente do Sinpol, Rafael Cavalcanti, à reportagem do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC).

Durante entrevista ao vivo no programa O Povo na TV, da TV Jornal, desta segunda-feira (14), Rafael disse que a Polícia Civil não irá realizar nenhuma atividade em todo o Estado.

"A greve tem início de forma imediata em todo o Estado. Nenhuma atividade da Polícia Civil será realizada. Dissemos que se essa greve saísse, era culpa do governo. Sem resolver os problemas, tratando a gente com péssimas estruturas, tentando negociar e o Governo não fazendo a parte dele, a categoria não aguentou mais", declarou.

Nota da SDS

"A Secretaria de Defesa Social esclarece que, na tarde desta segunda-feira (14), reuniu-se com o presidente e diretores do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) para apresentar a proposta de 20% de reajuste salarial para todas as categorias profissionais representadas pela entidade. No entanto, após a reunião, a SDS foi surpreendida com a decretação de greve. O entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) é de que greves na segurança pública são ilegais. Nesse sentido, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) determinou a cobrança de multa de R$ 300 mil ao Sinpol por dia em caso de paralisação de qualquer natureza. O Sinpol foi devidamente notificado dessa decisão na semana passada.

O diálogo e o esforço do Governo de Pernambuco resultaram em uma proposta que aliou avanços na remuneração para as categorias e a responsabilidade fiscal com as contas públicas, em um cenário de sucessivos anos de retração econômica e pandemia. A disposição para o diálogo será mantida, na busca de soluções que não penalizem a população e garantam a valorização profissional. A SDS não transigirá na adoção de todas as providências cabíveis no sentido de manter a prestação de serviços de segurança pública aos pernambucanos."

Decisão da Justiça

Na quarta-feira (9), o Tribunal de Justiça de Pernambuco determinou que o Sinpol se abstenha de realizar paralisação de suas atividades, sob qualquer forma, modalidade ou denominação, com a advertência de que o descumprimento da ordem acarretaria em multa. 

Naquele momento, o sindicato organizava uma paralisação das atividades para o dia seguinte, isto é, a quinta-feira (10).


Mais Lidas