fim do conflito?

GUERRA DA UCRÂNIA: Presidente ucraniano revela "sinal da Rússia" em negociações para o fim


Outro ponto positivo foi a intervenção de outros líderes mundiais, como o chanceler alemão, Olaf Scholz, e o presidente francês, Emmanuel Macron, que conversaram longamento com o presidente russo, Vladimir Putin

Elton Ponce
Elton Ponce
Publicado em 12/03/2022 às 15:02
Notícia
Alexander NEMENOV / AFP e SERGEI SUPINSKY / AFP
O presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensk - FOTO: Alexander NEMENOV / AFP e SERGEI SUPINSKY / AFP
Leitura:

As negociações para o fim da Guerra da Ucrânia ganharam mais um capítulo.

O presidente ucraniano Volodimir Zelensky enfatizou neste sábado (12) que a Rússia adotou uma "abordagem fundamentalmente diferente" nas negociações para encerrar o conflito que foi desencadeado pela invasão russa da Ucrânia em 24 de fevereiro.

Em entrevista coletiva, Zelensky indicou que Moscou não se limita mais a "dar ultimatos" e disse estar "feliz por receber um sinal da Rússia", depois que o presidente russo Vladimir Putin disse ter visto "passos positivos" na últimas negociações bilaterais.

Guerra da Ucrânia vai acabar?

Outro ponto positivo foi a intervenção de outros líderes mundiais. 

O chanceler alemão, Olaf Scholz, e o presidente francês, Emmanuel Macron, pediram um cessar-fogo imediato no conflito ucraniano durante telefonema de 75 minutos com o presidente russo, Vladimir Putin, neste sábado(12), disse um porta-voz do governo alemão.

"A conversa faz parte dos esforços internacionais em curso para acabar com a guerra na Ucrânia", disse o porta-voz em um comunicado, acrescentando que os participantes concordaram em não dizer mais nada sobre o conteúdo do telefonema.

Com informações da Agência France Press

MIKHAIL KLIMENTYEV / SPUTNIK / AFP
Presidente russo Vladimir Putin - FOTO:MIKHAIL KLIMENTYEV / SPUTNIK / AFP
JACK GUEZ / AFP
Israelenses protestam contra a guerra na Ucrânia em frente à embaixada russa em Tel Aviv - FOTO:JACK GUEZ / AFP
AFP
Guerra na Ucrânia - FOTO:AFP
AFP
Vítima da Guerra na Ucrânia; Rússia invadiu país no dia 24 de fevereiro - FOTO:AFP

Mais Lidas