LUTO

"Meu filho morreu em um ato heróico, mas eu queria que ele fosse um covarde", diz mãe de jovem morto em tiroteio em Boa Viagem

O estudante foi assassinado na última sexta-feira (8) após tentar defender a namorada e a sogra do homem que, inconformado com fim do relacionamento, abriu fogo contra a família.

Catêrine Costa
Catêrine Costa
Publicado em 09/07/2022 às 15:31
Foto: Cortesia
Breno Felipe Machado, de 28 anos, morreu após ser atingido por um tiro no peito - FOTO: Foto: Cortesia
Leitura:

Familiares e amigos de Breno Felipe Machado, de 28 anos, se despedem do estudante de direito na tarde deste sábado (9), no cemitério Parque das Flores, no bairro de Tejipió, no Recife. 

O estudante foi assassinado na última sexta-feira (8) após tentar defender a namorada e a sogra do homem que, inconformado com fim do relacionamento, abriu fogo contra a família que estava em um condomínio na Rua dos Navegantes, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul da capital pernambucana.

VEJA TAMBÉM: Zelador narra últimos passos do atirador antes de ataque

RELATO DA MÃE

A mãe de Breno, Maria Laudjane, lamentou o ocorrido. Inconsolável, ela disse que preferia que o filho não tivesse intervindo na discussão.

"Breno era um menino extraordinário, era um menino íntegro. Meu filho morreu em um ato heróico, mas eu queria que ele fosse um covarde, queria que ele tivesse comigo. Mas se ele tivesse se acovardado ele não seria o Breno, ele iria morrer por fora, porque ele - o atirador -  iria matar a namorada do meu filho e a sogra", falou extremamente abalada. 

Sem entrar em detalhes, a mãe de Breno, contou que o filho já havia deixado claro que haviam questões na casa da namorada, que ele não concordava.

"Domingo ele veio para casa e disse que estavam acontecendo coisas que não cabiam a ele. E meu filho voltou na quarta porque ele amava a namorada dele", contou.

A DOR DA PERDA

Laudjane falou sobre a dor de perder o filho o qual tinha tanto amor. A mulher revelou que chegou a pensar em tirar a própria vida após a tragédia. 

"Cada mãe sabe o que eu estou sentindo. Mais doloroso foi ver meu outro filho dormir tremendo, ele era louco por Breno e Breno por ele. Tem que dizer que estou bem porque eu tenho mais dois filhos, por isso não fiz uma loucura na minha vida. Eu só não me joguei do viaduto da Caxangá porque Deus é Deus", falou. 

VEJA TAMBÉM:  vídeo mostra atirador invadindo prédio momentos antes do ataque 

A NORA

Em meio a dor, Maria Laudjane ainda encontrou forças para reforçar o apoio à namorada do filho, que apesar do tiro, se encontra em estado de saúde estável.

"Eu vou dizer a ela que ela é minha segunda filha".

ENTENDA O CASO

O crime foi praticado por um homem de 50 anos, que invadiu um prédio em Boa viagem e entrou no apartamento da ex-companheira.

Segundo informações da Polícia Civil, o homem que não aceitava o fim do relacionamento, atirou na ex-esposa, de 50 anos, na filha dela, de 20, e no namorado da filha, Breno, de 28 anos.

No final, o homem se matou. A ex-mulher do atirador encontra-se internada em um hospital particular do Recife em estado gravíssimo. 

Mais Lidas