Vídeo: câmera de segurança flagra "serial killer de Brasília" dentro de fazenda em Goiás

Câmeras de segurança registraram, no início da manhã desta terça-feira (15), Lázaro Barbosa de Sousa em uma fazendo no povoado de Ediândia, interior de Goiás

POLÍCIA
Vídeo: câmera de segurança flagra

Lázaro Barbosa de Sousa é procurado pela polícia, suspeito de matar quatro pessoas. - Foto: Divulgação/PMDF

Com informações do Correio Bahia

ATUALIZAÇÃO: Veja atualizações sobre as buscas de Lázaro Barbosa, o serial killer do DF, nesta quarta-feira (16).

Câmeras de segurança de uma fazenda localizada no povoado de Edilândia, no interior de Goiás, flagraram, na manhã desta terça-feira (15), Lázaro Barbosa de Sousa, o serial killer de 33 anos que está sendo procurado por autoridades do Distrito Federa e de Goiás por ser o principal suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família, na última quarta-feira (9). 

>>>'Serial Killer de Brasília' é suspeito de matar pai, mãe e filhos em Ceilândia e segue foragido

>>>'É chamado de satanista', diz polícia sobre Lázaro Barbosa, conhecido como 'serial killer de Brasília'

>>>Quem é o 'serial killer de Brasília' identificado como Lázaro Barbosa?

Ao que tudo indica, Lázaro estava dormido dentro de uma leiteria. Os donos do local chegaram e encontraram o homem, que prometeu não fazer mal a ninguém e disse que só queria se alimentar. O suspeito ficou desconfiado de que o caseiro chamaria ajuda, e acabou fugindo novamente. Ele carregava uma mochila junto ao corpo.

>>> LEIA MAIS: Serial killer invadiu casa na madrugada desta quarta-feira (16); veja o que ele fez no local.

Veja o vídeo 

Crimes

Tudo começou na quarta-feira (9), quando um empresário da região e dois filhos dele foram encontrados mortos dentro de uma chácara na cidade de Ceilândia, no DF. As vítimas foram identificadas como Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, e Gustavo Marques Vidal, 21. A esposa de Cláudio e mãe dos meninos, Cleonice Marques, 43 anos, foi sequestrada e o corpo dela foi encontrado dias depois, na tarde do último sábado (12). 

De acordo com a PM, Lázaro está se escondendo por sítios e matagais do entorno de Brasília, o que dificulta a localização exata do suspeito. Na tarde do sábado, ele invadiu uma fazenda na cidade de Cocalzinho (GO), que pertence a um soldado da PM. 

>>>Serial killer de Brasília: homem é suspeito de matar 4 pessoas e foge da polícia há 7 dias; fuga já teve tiroteios e refém

>>>Maníaco do Parque, Jack - o estripador, Ted Bundy e o homem que matou 90 pessoas: conheça os serial killers mais famosos do mundo

>>>O que é serial killer? Entenda a expressão, que voltou à tona após caso em Brasília

"O criminoso (...) quebrou tudo na propriedade, bebeu e fumou maconha. Obrigou o caseiro a fumar também”, disse a PM, de acordo com o UOL. Quando o dono da propriedade chegou, Lázaro fugiu levando o caseiro de refém. Em outra fazenda, ele baleou três homens que trabalhavam no local, de acordo com relato da policia. 

Ainda de acordo com testemunhas, o homem, que aparentemente está transtornado, chegou a quase colocar fogo na casa em que uma mulher e uma criança estavam. 

Com a chegada da polícia, Lázaro reagiu, disparou contra os policiais, e fugiu novamente pela mata. De acordo com os investigadores, o homem tem várias armas. 

Segunda-feira (14)

Na noite dessa segunda-feira (14), Lázaro foi visto novamente em Cocalzinho. Ele teria pedido comida em uma chácara, mas os moradores negaram. O caseiro da chácara disparou oito vezes contra o homem que, novamente, conseguiu fugir. Não se sabe se ele está ferido. As buscas continuam nesta terça-feira.

"Serial killer de Brasília" pode não ser um serial killer

Oficialmente, a Polícia do Distrito Federal não trata Lázaro Barbosa de Sousa, de 33 anos, como um "serial killer". Ele é suspeito de assassinar quatro pessoas de uma mesma família na semana passada e está fugindo dos policiais desde então. Na fuga, ele já trocou tiros e fez ao menos um refém. O termo "serial killer" para tratar este caso foi adotado por usuários das redes sociais, tecnicamente, de forma errada. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.