Movimento

Psicologia em Movimento: prazer e sexo em tempos de pandemia


O psicólogo Sylvio Ferreira falou sobre o tema na coluna Psicologia em Movimento

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Publicado em 07/05/2020 às 21:43
Reprodução / Internet
FOTO: Reprodução / Internet
Leitura:

Tempos de angústia, dor, e sofrimento, como é o caso da pandemia que ora vivemos, ocasionada pelo novo coronavírus, pesquisas de levantamento realizadas, em diferentes países, têm revelado um aumento significativo no número de buscas na internet por sites de encontros, namoros, pornografia e sexo virtual.

Ao prazer do flerte, ao jogo da sedução, ao encanto do enamoramento, ou mesmo ao prazer sexual, propriamente dito, à distância ou presencialmente.

Conscientemente ou não, as pessoas buscam compensar o medo da morte ou a angústia por sentirem suas vidas ameaçadas, mergulhando de corpo e alma naquilo que oferece a elas o sentido de estarem vivas, mediante à entrega de si mesmas as mais diversas formas de prazer.

A do prazer sexual, principalmente. É o instinto de vida, em cada um de nós, ou a pulsão de vida, se preferirem, querendo derrotar o instinto ou a pulsão de morte.

Trata-se do conflito ancestral mais primitivo, travado desde às origens da espécie humana, entre eros e thanatos, a vida e a morte. eros é o que garante a vida e o viver, é a certeza do amanhã, é o desejo de atravessar os tempos, de fazer-se imortal.

Thanatos é a negação da vida e de tudo o que foi dito antes. É sobre prazer e sexo em tempos de pandemia que o apresentador Marcelo Araújo conversou com o psicólogo sylvio ferreira no programa Movimento Cultural.

Ouça a coluna na íntegra:


Mais Lidas