Movimento

Psicologia em Movimento: a síndrome da cabana


O colunista Sylvio Ferreira falou sobre o tema no programa Movimento Cultural

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 26/08/2020 às 17:22
Reprodução/Internet
FOTO: Reprodução/Internet
Leitura:

Para além da ameaça à vida, a pandemia tem deixado muitas sequelas traumáticas: a obsessão com a higienização das mãos, dos objetos, da casa, têm sido comportamento frequentes.

O pânico gerado pelo pavor do contágio, é outro medo que assola e ainda toma conta da vida das pessoas. Embora qualquer preocupação que alguém possa ter em proteger sua saúde, em qualquer circunstância, seja um comportamento ou atitude absolutamente normal. Em tempos de pandemia, onde a vida está posta e exposta a ameaças constantes (e o que é pior, de natureza invisível), o cuidado e a preocupação obsessiva com a higiene e a proteção, podem ocasionar traumas psíquicos na forma das mais variadas fobias.

Existem várias outras formas de medo que alguém pode desenvolver. Um deles, que vem sendo observado e estudado, a partir do fim da quarentena, do lockdown, etc., é o que está sendo chamado de "Síndrome da Cabana".

Sobre o assunto, o apresentador Marcelo Araújo conversou com o psicólogo Sylvio Ferreira, no programa Movimento Cultural.

Ouça a coluna na íntegra:


Mais Lidas