Movimento

Psicologia em Movimento: Transtorno opositivo-desafiador


jc
jc
Publicado em 12/01/2022 às 0:00
Notícia
Reprodução/Internet
Reprodução/Internet
Leitura:

Há pessoas que, em geral, se opõem a tudo e a todos, sempre se situando do lado contrário do que escutam ou daquilo que lhe é dito. Popularmente, elas são chamadas de "espírito de porco" e são tidas como pessoas que colocam "gosto ruim" em tudo. Por causa desse comportamento, elas acabam pagando um preço alto, na forma de rejeição ou falta de empatia por parte daqueles que com ela convivem: em casa, na escola, na vida social, etc. Quando são adultas, a rejeição também se estende ao ambiente do trabalho.

O que faz com que os seus colegas a evitem, isolando-a das atividades de lazer ou socialização fora da esfera do trabalho, isso por que elas costumam ser consideradas "intratáveis". Mas elas não são assim porque querem, no sentido do entendimento ou compreensão das razões subjacentes ao seu comportamento e que governam a sua vida. Há algo na vida delas que é maior do que elas e que a levam a se comportar sempre na contra-mão da opinião alheia. Se esse comportamento adquire um caráter sistemático, padrão, ou repetitivo, é bem possível que a pessoa em questão sofra do transtorno chamado opositivo-desafiador.

É quando a oposição ao que alguém pensa, sente, ou acredita, se torna uma prática rotineira, não importa o que esteja sendo dito, sentido ou pensado, por uma outra pessoa ou um conjunto de pessoas, o comportamento adotado será sempre de caráter opositivo-desafiador. Esse transtorno de comportamento apresenta vários graus de intensidade, das formas mais leves a outras consideradas mais graves. Porém, pouco importando o grau em que o referido transtorno se manifeste, por trás do mesmo sempre haverá alguém em estado de sofrimento e querendo fugir da sua dor ao fazer da oposição ao outro um modo de desafiá-lo, contrariá-lo, negá-lo, para, agindo deste modo, poder encontrar o bode expiatório para as suas angústias e sofrimentos, traumas e complexos, que impedem a pessoa de formar e firmar suas opiniões e convicções próprias de modo empático e diplomático, sem querer ser o dono da verdade e o senhor da razão.

Será sobre esse assunto, o chamado transtorno opositivo-desafiador, que abordaremos, hoje, na Coluna Psicologia em Movimento com o psicólogo Sylvio Ferreira.

Ouça a coluna na íntegra:

Comentários


Mais Lidas