Notícia | MOBILIZAÇÃO

Escolas funcionam parcialmente no 2º dia de greve dos professores


Uma das pautas da greve dos professores da rede estadual e municipal critica reforma da Previdência

Publicado em 17/03/2017, às 15:37

Rádio Jornal

Foto: Rádio Jornal

Mesmo em meio a greve dos professores, a movimentação em escolas estaduais foi intensa nesta sexta-feira (17) na Região Metropolitana do Recife. A paralisação chegou ao segundo dia contra a reforma da Previdência e também em defesa da lei do piso nacional do magistério.

Os professores das redes estadual e municipal de ensino pedem também reajuste médio de 8,6% nos salários, a unificação dos pisos e pagamento de vale alimentação.

>> Professores da rede privada se reúnem para discutir campanha salarial

Na Zona Sul do Recife, o Complexo Santos Dumont, formado por quatro escolas, teve funcionamento parcial. Das quatro unidades, três estaduais abriram as portas nesta sexta, e apenas uma municipal não funcionou. Os alunos compareceram as aulas e comentaram o período de greve.



Algumas escolas municipais também aderiram à greve. A coordenadora geral do Sindicato dos Professores do Recife, Simone Fontana, faz um balanço parcial da paralisação nas escolas municipais e detalha quais próximos passos da categoria. “Dia 20 a gente vai fazer uma assembleia para avaliar os próximos passos”, disse.

Os detalhes na reportagem de Thales Kirion:

Governo avalia 

Foto: Rádio Jornal

De acordo com a Secretaria de Educação do Estado, nesta quinta-feira (16), apenas 13% das escolas estaduais funcionaram. No Recife, 10% das instituições de ensino do município aderiram à greve e quase 50% das escolas municipais de Olinda não funcionaram nesta quinta, segundo dados das secretárias municipais de educação.

Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Notícia

Escolas funcionam parcialmente no 2º dia de greve dos professores



Publicado em 17/03/2017, às 15:37


Rádio Jornal

[IMAGEM]

Mesmo em meio a greve dos professores, a movimentação em escolas estaduais foi intensa nesta sexta-feira (17) na Região Metropolitana do Recife. A paralisação chegou ao segundo dia contra a reforma da Previdência e também em defesa da lei do piso nacional do magistério.

Os professores das redes estadual e municipal de ensino pedem também reajuste médio de 8,6% nos salários, a unificação dos pisos e pagamento de vale alimentação.

>> Professores da rede privada se reúnem para discutir campanha salarial

Na Zona Sul do Recife, o Complexo Santos Dumont, formado por quatro escolas, teve funcionamento parcial. Das quatro unidades, três estaduais abriram as portas nesta sexta, e apenas uma municipal não funcionou. Os alunos compareceram as aulas e comentaram o período de greve.

Algumas escolas municipais também aderiram à greve. A coordenadora geral do Sindicato dos Professores do Recife, Simone Fontana, faz um balanço parcial da paralisação nas escolas municipais e detalha quais próximos passos da categoria. “Dia 20 a gente vai fazer uma assembleia para avaliar os próximos passos”, disse.

Os detalhes na reportagem de Thales Kirion:

[uolmais_audio 16166487]

Governo avalia 

[IMAGEM2]

De acordo com a Secretaria de Educação do Estado, nesta quinta-feira (16), apenas 13% das escolas estaduais funcionaram. No Recife, 10% das instituições de ensino do município aderiram à greve e quase 50% das escolas municipais de Olinda não funcionaram nesta quinta, segundo dados das secretárias municipais de educação.