Tecnologia

Recife discute soluções para aprimoramento de dados públicos

Especialistas defendem que é preciso apresentar visões facilitadas dos dados públicos para que o cidadão comum consiga entendê-los

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 09/10/2019 às 15:20
<em>Foto: Pixabay</em>
FOTO: Foto: Pixabay
Leitura:

Representantes da Controladoria Geral do Município, da Emprel e da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) se reuniram no Bairro do Recife nessa terça-feira (8) para discutir soluções para aprimorar a abertura de dados públicos da cidade.

"Transparência ativa", "dados abertos", "Lei de Acesso à Informação". Esses termos são muito comuns na configuração e gerenciamento do dia a dia em uma grande cidade do século 21. São ferramentas importantes para melhorar o cotidiano das pessoas, mas nem todo mundo sabe o que significam e nem para que servem.

A ideia é simples: toda informação pública deve estar acessível a qualquer cidadão. Nessa montanha de dados estão disponíveis gastos dos políticos, contratos de licitação, valores de obras dos municípios, e muito mais.

Eugênio Antunes, presidente da Empresa Municipal de Informática do Recife (Emprel), conta como qualquer pessoa pode se apropriar dessas informações para melhorar a cidade em que vive: "Dados abertos têm uma pegada mais prática, mais de dia a dia. Então é para o cidadão fiscalizar não apenas a parte financeira do ente público (no caso a Prefeitura), mas a parte de serviços também", explicou.

Desde 2011, quando foi promulgada a lei de acesso à informação, os órgãos públicos devem praticar a transparência ativa. Ou seja, divulgar os dados de interesse para a população, bem como atender as demandas dos cidadãos, por meio dos portais de transparência.

Mas mesmo com toda a informação que já está disponível, Antunes conta que alguns ajustes são necessários para tornar os dados cada vez mais acessíveis: "A gente entende que o nosso portal de dados aberto ele ainda é pouco utilizado. Dado pode ser consumido por especialistas, mas ele tem que chegar também ao cidadão comum. Então a gente precisa trabalhar esse dado, tirar um pouco a complexidade dele e apresentar visões facilitadas para que o cidadão consiga entendê-lo e manusear ele de forma simples".

Reunião

Na ocasião, foram apresentados "cases" de sucesso, com a utilização de dados públicos, que incluem projetos que tratam da melhoria do espaço urbano, da geração de emprego e do combate a violência contra a mulher.

Mais Lidas