JUSTIÇA

Santa Cruz vai recorrer de condenação por morte com vaso sanitário


A Justiça condenou o time por multa de R$500 mil por morte de torcedor, em maio de 2014, após partida entre Santa Cruz e Paraná.

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 13/07/2016 às 6:38
Leitura:
Foto: Guga Matos/JC Imagem


O juiz José Junior Florentino dos Anjos da 32º vara cível da capital foi o responsável pela análise do processo que terminou com a condenação do Santa Cruz e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pela morte de Paulo Ricardo Gomes da Silva em maio de 2014. O torcedor do Sport foi atingido por um vaso sanitário quando saia do Estádio do Arruda, após a partida entre Santa Cruz X Paraná.

Suellen Fernandes tem as informações:

Leia também: Torcedor morre atingido por um vaso sanitário após jogo no Arruda

Luto e desespero em enterro de torcedor assassinado após jogo no Estádio do Arruda

Trio que jogou vasos sanitários do estádio deve responder por homicídio doloso

Réus acusados de arremessar vaso sanitário em torcedor no Arruda são condenados a mais de 20 anos de prisão

O Santa Cruz e a CBF, juntos, devem pagar indenização de R$ 500 mil a família da vítima. Os réus também ficam obrigados a pagar pensão mensal de R$ 438,62 até o ano em que Paulo Ricardo completaria 65 anos.

O presidente do Santa Cruz, Alírio Morais, afirmou que vai recorrer. Em entrevista ao Blog do Torcedor, Alírio disse que o time ainda não foi informado oficialmente da decisão, mas que considera a sentença injusta. “Respeito a decisão da Justiça, mas acredito que ela foi equivocada e feita dentro de um apelo emocional”, disse.

Relembre o caso

Paulo Ricardo Gomes da Silva foi atingido por um dos vasos sanitários jogados por torcedores do Santa Cruz de cima do Estádio do Arruda após. Paulo Ricardo morreu na hora.

O soldador tinha 26 anos, torcia pelo Sport e tinha ido ao estádio para apoiar a torcida do Paraná. Além da morte de Paulo, três pessoas também ficaram feridas pelos estilhaços de louça lançados pelos tricolores.

Luiz Cabral de Araújo Neto, Waldir Pessoa Firmo Júnior e Everton Filipe Santiago Santana foram apontados no processo por homicídio duplamente qualificado e por outras três tentativas de homicídios. Everton pegou 28 anos e nove meses, Luiz 25 anos, sete meses e 15 dias e Waldir 22 anos e seis meses.


Mais Lidas