NÁUTICO

Para marcar gerações, Náutico vai em busca do primeiro título nacional

O timbu decide a final da Série C, neste domingo (6), contra o Sampaio Corrêa

Publicado em 06/10/2019 às 14:38
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
FOTO: Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Leitura:

Um título para marcar gerações. A primeira conquista nacional da história de um clube centenário. É com esse objetivo e responsabilidade que os jogadores do Náutico entram em campo hoje contra o Sampaio Corrêa, às 16h, no estádio Castelão, em São Luís do Maranhão. O primeiro capítulo da decisão foi favorável ao time pernambucano, que dentro do caldeirão dos Aflitos conseguiu construir uma boa vantagem, ao vencer por 3×1 no jogo de ida. Para levantar a taça da Série C, o Timbu pode perder por até um gol de diferença. Em caso de derrota por dois gols de diferença, o título será decidido nos pênaltis. A Bolívia Querida só conquista a taça no tempo normal se conseguir uma vitória por três ou mais gols de diferença.

 

Na briga por um conquista nacional, o Náutico já bateu na trave duas vezes, quando foi vice da Taça Brasil em 1967 e da Série B de 1988. Depois de passar por um longo jejum de 13 anos sem nenhum título, o Timbu pode engatar a segunda conquista em dois anos da gestão do presidente Edno Melo. Embora o tamanho e a representatividade da Série C não sejam condizentes com a tradição do Náutico, um título nacional chegaria para coroar o processo de reestruturação que o clube vem passando, resgatando o orgulho do torcedor.

Destacando a mentalidade vencedora que o elenco do Náutico adquiriu ao longo da competição, o técnico Gilmar Dal Pozzo aproveitou a última fala antes da decisão para agradecer a todos os profissionais que o acompanharam durante a segunda passagem pelo clube. Com o principal objetivo alcançado, com o acesso à Série B, o treinador alvirrubro voltou a comentar sobre merecimento, palavra bastante utilizada por ele durante a trajetória do time.

“Vai ser um momento muito especial porque eu vou está completando 50 jogos no Náutico. Eu queria fazer um agradecimento geral. Em primeiro lugar a diretoria que confiou no meu trabalho e na minha capacidade. Lançou um desafio e eu topei. A gente conquistou no primeiro momento os objetivos. Agradeço a confiança. Um agradecimento especial para o todo o Staff, desde os funcionários que cuidam do campo, porque esse acesso não foi só meu, se a gente fez um bom trabalho foi por conta de toda uma equipe, todos que estão envolvidos neste processo. Agradecimento também a torcida e aos jornalistas. Nós temos uma relação muito boa e eu me sinto muito a vontade de falar isso”, exaltou Dal Pozzo.

 

Sampaio Corrêa

Enquanto o Náutico briga pelo primeiro título nacional, o Sampaio Corrêa vai em busca do quarto título brasileiro, sendo a única equipe no país a conquistar o Campeonato Brasileiro de três divisões diferentes. Ganhou a Série B em 1972, a Terceirona em 1997 e a Quarta Divisão de 2012. De quatro decisões nacionais disputadas, a Bolívia Querida venceu três. A única vez que perdeu uma final nacional foi justamente para um time pernambucano, quando foi vice do Santa Cruz na Série C de 2013.

Ficha do jogo

Sampaio Corrêa: Andrey; Everton, Paulo Sérgio, Odair Lucas e João Victor (Romano); Ferreira, Eloir e Rodrigo Andrade (Lucas Hulk); Esquerdinha, Roney e Salatiel Júnior. Técnico: João Brigatti. Esquema: 4-3-3.

Náutico: Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Diego Silva e Wilian Simões; Josa, Jhonnatan e Jean Carlos; Matheus Carvalho, Álvaro e Wallace Pernambucano. Técnico: Gilmar Dal Pozzo. Esquema: 4-3-3.

Local: estádio Castelão, São Luís (MA). Horário: 16h. Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP). Assistentes: Fabrini Bevilaqua Costa (SP) e Fernanda Nândrea Gomes Antunes (MG).

Mais Lidas