COB organiza operação para trazer equipamentos enviados a Tóquio

Entidade prepara logística após definição de novo calendário dos Jogos

TóQUIO
COB organiza operação para trazer equipamentos enviados a Tóquio

Jogos Olímpicos de Tóquio foram adiados para 2021 - Foto: FOTO: AFP

Da Agência Brasil

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) se manifestou após a confirmação das novas datas dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, com início no dia 23 de julho e término em 8 de agosto de 2021. O diretor-geral Rogério Sampaio, medalhista olímpico no judô, elogiou a agilidade o Comité Olímpico Internacional (COI) em divulgar o novo calendário. 

“Tudo está andando num prazo muito bom. A rápida definição da nova data dos Jogos permite que todo o calendário esportivo mundial se reorganize, protegendo a saúde dos atletas e demais envolvidos nos Jogos. Nosso desejo é que essa fase de afastamento social passe logo para voltarmos à rotina normal, com a retomada dos treinos e a diminuição da ansiedade geral.”

O diretor do COB disse que o momento é de reorganizar a logística, tendo em vista que muitos equipamentos e materiais já haviam sido enviados ao Japão. Uma outra parte sairia do Brasil em abril. A entidade estima que mais de 400 pessoas devam integrar o Time Brasil, deste total aproximadamente 270 devem ser atletas. Sendo assim, surge a necessidade de remarcar passagens e hospedagens.

“Já iniciamos o contato com nossas bases e fornecedores, comunicando oficialmente sobre o adiamento e informando, de forma antecipada, sobre o interesse de manutenção das parcerias para 2021. Estamos elaborando também o aditamento do contrato com fornecedores de transporte, alimentação e depósitos que tínhamos à disposição no Japão”, detalha Sampaio.

O Brasil já tem 178 atletas classificados para as Olimpíadas de Tóquio, porém ainda há indefinição em relação àqueles que dependem do posicionamento no ranking mundial para assegurar vagas. 

“O COI e as Federações Internacionais devem se manifestar sobre até o início de abril a respeito do restante das vagas em disputa” - explicou Jorge Bichara, diretor de Esportes do COB.

Vôlei brasileiro também se manifesta

A levantadora do Osasco, Roberta Kantz, frequência constante nas convocações da seleção brasileira de vôlei, aprovou a decisão tomada pelo COI.

“Foi uma decisão muito sensata, e inteligente também. Deve ter sido muito difícil, mas foi o certo a fazer neste momento. A gente está vendo a dimensão que esta pandemia tomou, então não tinha como nós atletas nos prepararmos. Eu vejo como uma nova oportunidade, temos mais um ano pré-olímpico para a gente se preparar",disse a jogadora da seleção feminina, já classificada para os Jogos de Tóquio.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.