Contratações, reformulação do elenco, DS87: confira a entrevista com Chico Guerra, diretor de futebol do Sport

Dirigente rubro-negro fala sobre o trabalho nos bastidores para que o Leão chegue competitivo na Série A

ILHA DO RETIRO
Contratações, reformulação do elenco, DS87: confira a entrevista com Chico Guerra, diretor de futebol do Sport

Aos poucos, o técnico Umberto Louzer vai implementando sua filosofia de trabalho no Sport - Foto: Anderson Stevens/ Sport

Antônio Gabriel | Twitter: @reporterantonio

Tranquilidade. Esse tem sido um substantivo pouco associado ao Sport desde o começo de 2021. Emendando a reta final da Série A com o início da nova temporada, o Leão viveu uma montanha russa de acontecimentos que causaram a clara sensação dos "dez anos a mil" das letras do músico Lobão: permanência, pagamento de multas, renovações, reformulação do elenco, eliminações, eleições e troca do comando técnico. Mas parece que tudo isso arrefeceu nos últimos dias. Com somente o Pernambucano no calendário, os rubro-negros tem encontrado espaços maiores entre as partidas no calendário, um fato que tem sido muito comemorado nos bastidores. O diretor de futebol do clube, Chico Guerra, em entrevista exclusiva a Rádio Jornal, ainda destacou a importância de momento surgir justamente nos primeiros dias de trabalho de Umberto Louzer.

"É como se não tivesse uma semana no Sport que não acontecesse alguma coisa. Essa é a primeira semana cheia de treinamento em preparação para uma partida. A gente não vinha treinando a equipe, a gente vinha jogando, é diferente. Não tem como testar a formação principal e com jogadores chegando. Sport e Náutico se classificando em primeiro e segundo terão um período maior de descanso até a semifinal e isso é muito importante para nós, para Louzer treinar e conhecer a equipe. Aos pouquinhos a coisa vai encaixando e mais importante: chegarmos no Brasileirão da maneira que a gente quer, com o time pronto", comentou Chico, já vislumbrando o Clássico dos Clássicos do fim de semana pelo estadual.

O tempo trazido pela maré tranquilidade na Ilha do Retiro também permite um análise mais fria sobre o trabalho desenvolvido até aqui. No horizonte já se enxerga a Série A do Brasileirão, competição mais importante do calendário de 2021 e que exige do Leão um elenco pronto e bem estruturado. "70% dos times brasileiros reformulam seu elenco ano após ano, é um trabalho muito difícil. Nós tivemos um bom desempenho nesse período de contratações. Definimos prioridades e quase todas elas vieram para o clube. O torcedor questiona mais o resultado, mas a montagem do elenco tem agradado, eu não tenho escutado muitas críticas quanto aos jogadores que estão sendo contratados. Os resultados sim, eles não ocorreram no início do ano, mas foram compreensíveis diante da montagem do elenco. Espero estar com esse plantel bem definido para o Campeonato Brasileiro", disse Chico.

O embasamento para buscar um bom desempenho na Série A parte do referencial de 2020. Até mesmo para começar a atual temporada com um mínima estrutura de grupo, o planejamento traçado de permanecer com as principais peças foi praticamente cumprido do início ao fim dos nomes citados na lista. "A gente fez um belo Brasileirão ano passado, foram 12 vitórias na competição. Equipes de ponta tiveram 13 ou 14 e com um orçamento dez vezes maior. Nossa ideia foi manter um esqueleto com aqueles atletas que foram bem, buscando peças no mercado para qualificar esse plantel. Tudo isso que foi proposto foi atingido. Todos os destaques do ano passado permaneceram e, diante da nossa capacidade, aprofundamos o elenco com contratações, dando mais opções. O resultado dentro de campo, o entrosamento, isso a gente não controla. Acreditamos que os princípios do trabalho foram muito bem executados", afirmou Chico Guerra.

DIAGNÓSTICO DO ATUAL PLANTEL

É muito cedo para falar sobre isso. Ele conhecia muitos jogadores, mas isso é diferente de trabalhar com eles, dentro de uma filosofia específica. Tem que dar tempo ao tempo. O Náutico será um belo teste, apesar de não ser um jogo de muito valor em termos de classificação e tabela. Em termos de encaixe de time e evolução, será um jogo muito importante. O Náutico fez um bom início de pernambucano e tá bem encaixado, com uma base desde o ano passado e mais qualificado. É um jogo que o torcedor tá curioso e acredito que vamos fazer um bom clássico, tenho acompanhado o trabalho diariamente e a evolução física dos atletas.

MERCADO BRASILEIRO E INTERNACIONAL

Esse mercado tá mais ativo que o do ano passado. O mercado lá pra fora será mais ativo. Alguns países da Europa já estão retomando as atividades. Vi clubes como Real Madrid e Juventus trocarem atletas. Houve uma retração muito grande, mas esperamos um mercado muito ativo para saída de jogadores. Internamente o mercado brasileiro continua muito caro, inflacionado. Os clubes do Brasil pagam salários muito altos. Eu vejo clubes do Nordeste com salários que surpreendem e não consigo enxergar o Sport nesse patamar. Não somente enxergar como aceitar. Não é por ter a receita que você tem que gastar a receita. Se tenho 100 eu não vou gastar 100, tem que guardar uma parte. Eu tenho achado o futebol no Brasil muito caro, por isso muitos jogadores sul-americanos por aqui. Você vê equipes vizinhas nossas pagando salários altíssimos. A gente tem muito cuidado aqui no Sport para não pagar sobrepreço nos jogadores, passando do nosso teto estamos fora.

PRIORIDADES PARA O ELENCO

Esse negócio de 'não contratar mais' não deixa de ser uma mentira para o torcedor. A partir do momento que você mapeia jogadores e que surge a oportunidade de trazer jogadores, você faz um esforço. A gente tirou o pé do acelerador, estamos fazendo uma avaliação interna e não adianta sair trocando peças. Futebol requer tempo, adaptação e trabalhamos com seres humanos. Realmente tiramos o pé do acelerador, porém estamos sempre atentos as oportunidades. Alguns setores estão com mais jogadores que outros e se formos trazer mais alguém será para os setores menos povoados. Eventualmente podemos ter uma ou duas saídas também.

CORPO DE VOLANTES E BUSCA POR UMA NOVA CARACTERÍSTICA NO MEIO CAMPO

Eu enxergo parecido com você. Muitas vezes as pessoas reclamam que contratamos muitos jogadores da mesma posição, mas as vezes aquele que trouxemos tem uma característica diferente. A gente enxerga que precisamos de jogadores no meio com características diferentes, agora não podemos inventar no jogador. Não é fácil, o mercado não tem tantas opções. Vamos no mercado sul-americano com muita cautela, prefiro aqueles que já estejam no Brasil pela adaptação. Queremos esse atleta com essa característica diferente. Pode acontecer também de ter alguém no elenco que faz a função de 8 também que estamos discutindo.

DIEGO SOUZA

Esse é um assunto muito vivo nas redes sociais. O que a gente acompanha de Diego é que é um grande atleta e tá fazendo um grande ano no Grêmio, o que já desqualifica o Sport. Acho muito difícil a gente tirar alguém em destaque desses times grandes, como Grêmio e Flamengo. Não houve novela nenhuma, apenas discussão de rede social.

SAÍDAS

Hernane foi um jogador que ajudou muito o Sport aqui, foi importantíssimo na Série B e na Série A, apesar de não ter jogado muito, foi muito importante para o grupo. Naturalmente os ciclos se encerram, é assim que enxergamos. Márcio Araújo veio com um contrato mais curto pela idade. Tudo isso tá sendo avaliado pela diretoria e respeitando os profissionais. Devemos ter saídas do elenco, mas não muitas. Não chegou nada oficial pelo Brocador.

PAULINHO MOCCELIN

Paulinho é um jogador que fez uma boa Série B com Umberto Louzer, uma das principais peças, mas não há nenhuma análise técnica sobre ele.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.