CBF afirma que “não há irregularidade na transferência de Pedro Henrique ao Sport''; veja documento

Nove clubes da Série A do Brasileirão haviam denunciado o Sport no STJD por suposta atuação irregular do zagueiro

DOCUMENTO
CBF afirma que “não há irregularidade na transferência de Pedro Henrique ao Sport''; veja documento

Pedro Henrique, jogador do Sport - Foto: Divulgação/Sport

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) emitiu um documento, nesta quarta-feira (12), assinado pelo diretor de competições da entidade, Manoel Flores, e afirma que ''não há irregularidade na transferência de Pedro Henrique ao Sport''. Com esse ofício, o clube rubro-negro ganha um argumento de defesa que pode ser fundamental para livrar o Leão de uma possível perda de pontos no Campeonato Brasileiro após nove clubes entrarem com uma ação conjunta no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O Sport também alega que não há motivo para punição.

De acordo com a apuração do comentarista do Escrete de Ouro, Ralph de Carvalho, o documento emitido pela CBF já foi enviado para a Federação Pernambucana de Futebol (FPF), que repassou para a direção do Sport. Ao longo da programação da Rádio Jornal, o repórter Antônio Gabriel traz mais detalhes sobre a situação.

Entenda o caso

Em uma nota oficial, compartilhada nas redes sociais, o Sport alegou não aconteceu irregularidades nas escalações de Pedro Henrique. Além disso, o clube rubro-negro afirmou que tem confiança no STJD e acredita a Justiça não vai punir o Leão por causa desse caso. O departamento jurídico do Sport acompanha a situação. Veja a nota abaixo:

A última partida de Pedro Henrique pelo Sport foi quando o Leão perdeu para o Fortaleza, na Arena Pernambuco, no dia 26 de setembro. De acordo o STJD, caso a infração seja comprovada, o time pernambucano pode perder três pontos, além das pontuações somadas nas partidas em que o jogador participou. 

> Clubes entram com ação conjunta no STJD contra o Sport por irregularidade de Pedro Henrique

Os adversários do Sport alegam que o zagueiro recebeu dois cartão amarelo no banco de reservas e, somado aos cinco jogos que fez pelo Internacional, não poderia se transferir para uma equipe da mesma divisão do Campeonato Brasileiro, baseados no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.