ATITUDE ADOTIVA

Atitude Adotiva: apadrinhamento de crianças e adolescentes acolhidos

O pai adotivo Leandro Pinheiro trouxe esclarecimentos sobre os programas de apadrinhamento no quadro Atitude Adotiva

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 26/07/2017 às 23:56
Leitura:

Imagem

Com o objetivo de trazer esclarecimentos sobre o apadrinhamento o assistente social, presidente do Grupo de Estudo e Apoio a Adoção (GEAD) Olinda e pai adotivo Leandro Pinheiro, participou do quadro Atitude Adotiva nesta quarta-feira (26). Em um bate-papo com o comunicador Marcelo Araújo no programa Movimento, ele falou sobre os projetos no estado.

»Desafios da adoção inter-racial
»Família Solidária: adoção de irmãos

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) disponibiliza no site dele os detalhes do projeto "Pernambuco que Acolhe" - o programa objetiva para as crianças e adolescentes que vivem em abrigos e não têm condições de voltar para a família biológica deles, uma melhor integração com a sociedade através do apoio afetivo; material e profissional. "Hoje a gente tem essa possibilidade no estado todo através desses programas, que possibilitam as crianças e adolescentes de todo Pernambuco serem apadrinhadas", explica Leandro Pinheiro. Ele detalha as possibilidades no quadro Atitude Adotiva.

Ouça Atitude Adotiva na íntegra:

Entenda

Os programas de apadrinhamento são uma das principais linhas de mobilização de recursos no combate a pobreza e desigualdade social . Além de órgãos institucionalizados, muitas Organizações Não Governamentais (ONGs) também atuam com essa estratégia para colaborar na formação de crianças e adolescentes - fora do "perfil" preterido para adoção - através da participação indireta no desenvolvimento delas. Na maioria dos casos, as doações são destinadas às comunidades e entidades que atuam com os jovens.

Mais Lidas