FILÓSOFO

Leonardo Boff associa discursos de Bolsonaro ao crescimento da violência no Brasil

O filósofo, escritor e teólogo Leonardo Boff falou ainda sobre a intervenção dos filhos de Bolsonaro no governo do País

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 18/03/2019 às 17:41
Agência Brasil
FOTO: Agência Brasil
Leitura:

Um estado sem lei que não respeita o pacto social construído na Constituição de 1988. Essa é a análise do escritor, teólogo e filósofo, Leonardo Boff, acerca do Brasil. Ele está no Recife para uma palestra nesta terça-feira (19). Segundo Boff, há uma ascensão da extrema direita a partir dos Estados Unidos em todo o mundo e, também, aqui no país que se caracteriza pelo não respeito ao outro.

Ele também criticou os discursos do presidente Jair Bolsonaro e atribuiu a ele a responsabilidade pelo crescimento do radicalismo na sociedade brasileira. O filósofo ainda reclamou da intervenção da família Bolsonaro nas questões relacionadas ao País.

Segundo Boff, que concedeu entrevista ao Balanço das Notícias, da Rádio Jornal, nesta segunda-feira (18), a violência virou uma cultura no Brasil. “As pessoas, a partir de cima, se sentem legitimadas a matar, a usar a violência e as principais vítimas são os jovens da favela, especialmente negros, com idade entre 17 a 24 anos, mortos continuamente”, apontou, citando ainda mulheres, LGBTs e indígenas como alvos dessa violência. “Há um ambiente geral, uma atmosfera de violência e de tensão que afeta todo mundo, deixa as pessoas desequilibradas, deprimidas. A gente não pode viver assim”, completou.

Sobre o radicalismo e o ódio empregado nas discussões, o filósofo culpabiliza o presidente da República. “Tem se agravado desde que Bolsonaro assumiu presidente. Toda a campanha dele era fundamentalmente baseada sobre palavras de violência, contra a corrupção, o que é certo, anti-PT (...) O discurso dele era extremamente violento, carregado de ódio. Não só dele, da família”, lembrou Boff.

O presidente é Jair

As críticas do filósofo se estendem ainda aos filhos de Bolsonaro. “Como disse Fernando Henrique Cardoso, parece uma família imperial plebeia que assume o poder e a família governa o país. Quem foi eleito foi o Jair, não foi a família”, disparou.

Como resposta ao ódio, ele pede diálogo. “Nós estamos numa situação inusitada. Nunca houve tanta violência no país, tanto desencanto, tanta agressão direta sobre os direitos e pessoas vulneráveis. Nós temos que superar isso criando frentes, protestando, não aceitando isso. Ao ódio, responder com benevolência, com diálogo, porque é isso que faz uma democracia funcionar”, disse.

Evento no Recife

O escritor, teólogo e filósofo Leonardo Boff realiza nesta terça-feira (19), na Unipaz Recife, às 19h30, uma palestra sobre a Crise Social e Ambiental e as Transformações Planetárias em Curso. Na ocasião, Boff falará sobre o momento de crise por que passa a sociedade contemporânea e os possíveis caminhos de superação. Os interessados em participar podem se inscrever pelo telefone: 3244-2742.

Mais Lidas