ESTELITA

Militantes contra o Novo Recife impedem volta de demolição do Estelita

Movimento Ocupe Estelita está no local; obras de demolição não têm previsão de retorno

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 29/03/2019 às 9:56
Foto: Filipe Jordão / JC Imagem
FOTO: Foto: Filipe Jordão / JC Imagem
Leitura:

As obras de demolição dos galpões do Cais José Estelita foram retomadas por volta das 18h desta quinta-feira (28). De acordo com a assessoria do consórcio Novo Recife, as máquinas trabalharam até às 20h30, mas as 21h os trabalhos foram interrompidos, alguns integrantes do movimento

Ocupe Estelita entraram no terreno. O serviço continua parado e não há previsão de retorno. Também na quinta, o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, o desembargador Adalberto Melo, autorizou que fossem retomadas as obras de demolição dos galpões do Cais José Estelita. As obras estavam suspensas desde a manhã desta quinta e por determinação da 5º Vara da Fazenda Pública.

No local, estão presentes integrantes do grupo do movimento Ocupe Estelita que estão acampados desde segunda-feira (25). Uma das integrantes, Gabriela, afirma que o movimento já se reuniu a após a retomadas das demolições. “A nossa reunião foi muito pautada em relação à ação homicida da Prefeitura junto com as construtoras, falo da Prefeitura porque foi ela própria que moveu a ação de retomada da demolição do Cais sem nenhum aviso aos ocupantes, colocando em risco a vida de todos que estavam aqui e a nossa decisão é de continuar na ocupação”, explicou.

Renato, outro integrante do movimento, questiona as empresas envolvidas na demolição dos Galpões. “Queria frisar como é lamentável a postura do senhor Gustavo Dubeux fazendo com que as pessoas que estão aqui procurando emprego acredite que eles possam tirar a gente daqui. Colocar trabalhador contra trabalhador, empreiteiro, não vai dar certo. Você deveria pensar em que você se alinha para realizar negócios. Porque você se alinha com a Queiroz Galvão que responde a vários processos na Lava Jato”, finalizou.

Mais Lidas