MAR ABERTO

Maior iate do Nordeste é apreendido na 2ª fase da operação que prendeu DJ Jopin

A 2ª fase da operação Mar Aberto mirou os bens da família Pinteiro; conhecido como DJ Jopin, José Pinteiro júnior está preso desde o dia 9 de maio

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 30/05/2019 às 15:06
Divulgação/ Polícia Civil
FOTO: Divulgação/ Polícia Civil
Leitura:

A Polícia Civil deflagrou nesta quinta-feira (30) a segunda fase da Operação Mar Aberto, que investiga crimes tributários, de lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.

Nesta etapa, os alvos foram os bens da família Pinteiro e a polícia cumpriu 13 mandados de busca e apreensão, um deles no Empresarial Jopin, no bairro do Pina, na Zona Sul do Recife, que pertence ao grupo.

Policiais apreenderam vários documentos, carros antigos que pertenciam à coleção da família e uma Ferrari que estava sendo desmontada. Um helicóptero, que estava escondido em um terreno no bairro do Pina, foi apreendido e uma aeronave semelhante foi apreendida em São Paulo.

A Polícia Civil também enviou equipes para a Praia de Cabedelo, na Paraíba, e onde foi encontrado um iate de 115 pés, avaliado em quase R$ 15 milhões. A embarcação tem dois andares e é considerada a maior do Nordeste, segundo a polícia. Apenas para transportá-lo para o Porto do Recife foram gastos R$ 10.500 só de combustível.

Para o delegado Jean Rockfeller, chefe da Diretoria Integrada Metropolitana, os Pinteiro estavam tentando esconder os bens.

Confira os detalhes na reportagem de Felipe Rocha:

Buscas na cela

Carros antigos da coleção da família foram apreendidos
Carros antigos da coleção da família foram apreendidos
Divulgação/ Polícia Civil

Ao todo, nove pessoas foram presas na primeira fase da operação, entre eles, José Pinteiro júnior, mais conhecido como DJ Jopin, o pai dele, o empresário José Pinteiro Costa Neto, apontado como o chefe da organização, e Aníbal Pinteiro, primo do artista. As prisões ocorreram no dia 9 de maio.

Cinco deles estão presos no Cotel, em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife, desde o início deste mês. A polícia apreendeu nas celas do DJ Jopin, do pai dele e do primo uma quantia em dinheiro e celulares, como explica o delegado.

Acusação

A Polícia Civil, junto com a Secretaria da Fazenda de Pernambuco, investiga uma movimentação do grupo Ecomariner, de R$ 358 milhões durante cinco anos, no qual ficou constatado que pelo menos R$ 65 milhões foram desviados.

Ainda segundo a Polícia Civil, as investigações devem continuar devido à grande quantidade de apreensões de documentos e computadores. Caso haja necessidade, uma terceira fase pode ser deflagrada.

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido de habeas corpus de José Pinteiro Costa Neto e do Filho José Pinteiro Júnior.

Mais Lidas