VIOLÊNCIA

Número de pessoas negras mortas cresceu 33,1% entre 2007 e 2017


De acordo com o Atlas da Violência, no mesmo período, a taxa de homicídios de pessoas não negras subiu 3,3%

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 27/06/2019 às 18:03
Bobby Fabisak/JC Imagem
FOTO: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

O Atlas da Violência 2019 coletou dados de 65.602 assassinatos em 2017, a maioria impulsionados pelo aumento da violência letal contra negros, mulheres e população LGBT. O homicídio é a principal causa de mortalidade entre jovens de até 29 anos no Brasil.

Barbárie que aumenta dependendo da cor da pele. Entre 2007 a 2017, a taxa de pessoas negras mortas cresceu 33,1%. No mesmo período, a taxa de homicídios de pessoas não negras subiu 3,3%.

De acordo com o Atlas da Violência, 56% dos homicídios registrados em Pernambuco, em 2018, seguem sem solução. No ano passado, o Estado registrou, 4.170 assassinatos. A maior parte dos assassinatos está diretamente ligado aos baixos índices de indicadores sociais.

A vida é um direito garantido na Constituição Federal do Brasil e também na Declaração Universal dos Direitos Humanos, que inspirou a constituição brasileira. É básico, inviolável. E fundamental para garantia de todos os outros direitos.

Confira a reportagem completa de Beatriz Albuquerque:


Mais Lidas